Avião da Germanwings cai no sul da França | Notícias internacionais e análises | DW | 24.03.2015

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Avião da Germanwings cai no sul da França

Havia 150 pessoas a bordo, incluindo passageiros e tripulação. Voo fazia a conexão entre Barcelona e Düsseldorf. Hollande diz que não há esperança de sobreviventes e que havia muitos alemães no avião.

Trajetória do voo 4U-9525

Trajetória do voo 4U-9525

Uma aeronave Airbus A320 da companhia aérea Germanwings caiu no sul da França na manhã desta terça-feira (24/03), segundo a polícia e autoridades de aviação francesas.

Segundo informações iniciais, havia 142 passageiros a bordo, dois pilotos e quatro comissários de bordo. Mais tarde, a Germanwings divulgou que são 144 passageiros e seis tripulantes.

Acompanhe as últimas informações ao vivo

O acidente aconteceu entre as cidades francesas de Digne-les-Bain e Barcelonnette, na região Alpes-de-Haute-Provence, nos Alpes franceses. O voo 4U-9525 fazia a conexão entre Barcelona, na Espanha, e Düsseldorf, na Alemanha.

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, confirmou o acidente e disse temer que as pessoas a bordo estejam mortas. O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, foi para a região.

O presidente da França, François Hollande, disse não haver esperança de que haja sobreviventes. Ele disse que muitos alemães estavam a bordo do avião e que a região é de difícil acesso. Helicópteros sobrevoaram a área do acidente e avistaram destroços do avião.

Segundo as autoridades de aviação da Espanha, o voo decolou de Barcelona às 9h55 (horário local). Ele deveria chegar a Düsseldorf às 11h55.

As causas do acidente são desconhecidas. O avião seria uma das versões mais antigas do modelo A320 e teria sido entregue em 1990.

A Germanwings é uma subsidiária da Lufthansa. A Germanwings e também a Airbus disseram estar cientes dos relatos na imprensa, mas ainda não podem confirmá-los.

Mais informações no "Ao vivo".

AS/dpa/rtr/afp/ap