Aumenta preocupação dos alemães com migrantes | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.01.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Aumenta preocupação dos alemães com migrantes

Pesquisa acusa crescimento do ceticismo entre a população. Pela primeira vez, maior parte dos cidadãos crê que governo não conseguirá gerir crise migratória e desaprova o trabalho de Merkel para solucionar problema.

Segundo uma sondagem divulgada nesta sexta-feira (15/01), a maioria dos alemães acredita que o país não conseguirá lidar com o grande afluxo de refugiados. A pesquisa, publicada pela cadeia de televisão alemã ZDF, também acusa um aumento da preocupação com a criminalidade e uma queda da confiança em relação ao trabalho da chanceler federal Angela Merkel na administração da crise migratória.

Pela primeira vez, a maior parte dos alemães acredita que o país não conseguirá gerir o afluxo de requerentes de asilo. De acordo com a pesquisa, 60% são dessa opinião – em comparação com 46% em dezembro –, enquanto apenas 37% confia que a crise migratória possa ser contornada.

Mesmo assim, uma maioria de 57% não acredita que uma proposta para determinar um limite de 200 mil refugiados a serem acolhidos – como defende a União Social Cristã (CSU), o partido irmão de democrata-cristãos de Merkel –, seja solução para o problema.

Preocupação com criminalidade

O aumento dos temores é tido, em parte, como uma consequência dos ataques sexuais contra centenas de mulheres ocorridos no réveillon em Colônia, supostamente praticados por homens de aparência norte-africana e árabe.

Quase um terço dos entrevistados admitiu que os ataques tiveram impacto sobre sua opinião quanto aos refugiados. Uma grande maioria – 70% dos entrevistados – teme um aumento da criminalidade em consequência do grande número de refugiados que chegam. Em outubro, 62% haviam expressado este receio. Apenas 27% não esperam um aumento da criminalidade.

Enquanto isso, 73% acreditam que as leis e os procedimentos para deportação de requerentes de asilo que cometem crimes devem ser reforçados e agilizados, denotando aprovação para as decisões nesse sentido tomadas recentemente pelo governo alemão.

Apoio a Merkel encolhe

Além disso, 42% acreditam que os refugiados representam uma ameaça para a cultura e os valores sociais alemães – em outubro, 33% tinham essa opinião –, enquanto 52% dos entrevistados não consideram os refugiados como uma ameaça.

O crescimento do ceticismo em relação aos refugiados também repercute na confiança dos eleitores quanto à competência de Merkel para lidar com a questão. A desaprovação ao gerenciamento da crise por parte do governo caiu sete pontos percentuais. Enquanto em dezembro 49%, dos entrevistados diziam que não acreditavam que Merkel administra bem a crise de refugiados, agora, 56% têm essa opinião.

A pesquisa foi realizada com 1.203 pessoas por telefone, entre 12 e 14 de janeiro.

MD/dpa/rtrg

Leia mais