Atropelamento deixa mortos em Trier, na Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 02.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Atropelamento deixa mortos em Trier, na Alemanha

Pelo menos cinco pessoas morrem e outras 15 ficam feridas após carro avançar contra zona de pedestres. Motorista é preso pela polícia, que investiga a ocorrência.

Pelo menos cinco pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta terça-feira (01/12), ao serem atropeladas no centro da cidade de Trier, no oeste da Alemanha. Entre os mortos está um bebê de nove meses.
 
O motorista, um alemão de 51 anos, foi preso logo após o atropelamento. As autoridades suspeitam que ele teria agido de maneira proposital. O atropelamento, que deixou pelo menos 15 feridos, aconteceu por volta das 14h (horário local) numa zona da cidade exclusiva para pedestres. 

O promotor Peter Frinzen afirmou que o motorista teria consumido uma grande quantidade de álcool e disse que a hipótese de um atentado por motivos políticos ou religiosos teria sido descartada.

"Parece que estamos falando de um suspeito com problemas mentais, mas não devemos julgar prematuramente", disse o prefeito de Trier, Wolfram Leibe. As autoridades afirmaram que é necessária uma avaliação aprofundada da saúde mental do motorista.
 
O suspeito teria passado as últimas noites no automóvel e aparenta não ter endereço fixo, segundo informou a polícia local. Ele teria emprestado o veículo, que estaria registrado em nome de outra pessoa.

Testemunhas relataram ao jornal local Trierische Volksfreund que o carro, uma SUV, passou em alta velocidade pela zona de pedestres e que não parecia se tratar de um acidente, mas de uma ação com claro objetivo de atingir pessoas.

"Como exatamente isso aconteceu eu não sei dizer. Eu sei que conseguimos parar o carro e prender o homem", disse um porta-voz da polícia. "Este deve ser o dia mais sombrio em Trier desde a Segunda Guerra Mundial", afirmou o prefeito.

O secretário do Interior do estado da Renânia-Palatinado, Roger Lewentz, confirmou a morte de duas mulheres de idades de 25 e 73 anos e de um homem de 45 anos, todos eles da cidade de Trier. 

Mais tarde, a polícia confirmou que outra mulher de 52 anos também havia morrido em razão do atropelamento, assim como o bebê de nove meses, cuja mãe ainda estava sob tratamento em um hospital. Entre os feridos, vários estão em estado grave.

Incidente traz lembranças amargas ao país


 "O que aconteceu em Trier é chocante", afirmou Steffen Seibert, porta-voz da chanceler federal Angela Merkel. Ele disse que os pensamentos da chefe de governo estavam com os familiares daqueles que perderam suas vidas "de modo tão violento e repentino".
 
Trier é um popular destino turístico na Alemanha e cidade mais antiga do país. Ela fica à beira do rio Mosela e tem mais de dois mil anos. Foi residência imperial e a capital do Império Romano do Ocidente no final do século 3º, além de ser a cidade onde nasceu Karl Marx.

O incidente em Trier se assemelha a alguns episódios ocorridos no país nos últimos anos, como o ataque a um mercado de Natal em Berlim, em 2016, quando um caminhão avançou sobre o local e matou 12 pessoas. Foi o pior atentado terrorista da história recente da Alemanha.

Em janeiro de 2019, um homem de nacionalidade alemã deixou oito feridos após avançar com um veículo contra grupos de pessoas que comemoravam o Réveillon nas cidades de Bottrop e Essen. Mais tarde, ele foi internado em uma clínica psiquiátrica.

Em abril de 2018, um alemão atirou um furgão sobre pessoas que estavam na parte externa de um restaurante na cidade de Münster e causou cinco mortes antes de tirar sua própria vida. Os investigadores disseram que ele tinha problemas mentais.

RPR/ots