Ativistas bloqueiam entradas do Salão do Automóvel de Frankfurt | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Ativistas bloqueiam entradas do Salão do Automóvel de Frankfurt

Pelo terceiro dia, ambientalistas protestam contra indústria automobilística na maior feira do setor e defendem banimento de carros nas cidades e transporte público gratuito. Manifestação reúne centenas de pessoas.

Manifestantes bloquearam entrada principal do Salão do Automóvel de Frankfurt

Manifestantes bloquearam entrada principal do Salão do Automóvel de Frankfurt

Ativistas bloquearam neste domingo (15/09) entradas, incluindo a principal, do Salão do Automóvel de Frankfurt (IAA) num protesto contra o que chamaram de "destruidores do clima e do meio ambiente" produzidos pela indústria automobilística. Esse é o terceiro dia que o evento é alvo de manifestações.

Centenas de pessoas vestindo roupas de proteção brancas sentaram ou ficaram paradas em pé em frente a duas entradas do evento. Os manifestantes levavam cartazes com inscrições como "desapropriar montadoras" e "as ruas estão ocupadas chegou a hora de mudar o transporte". Alguns dos participantes circularam de bicicleta em volta do prédio da feira, causando também obstruções.

Segundo os organizadores do ato, os protestos visam interromper o IAA com bloqueios pacíficos. "Estamos assumindo uma posição clara contra o sistema de transporte destrutivo que é defendido pelo maior salão do automóvel do mundo", afirmaram.

Os manifestantes defendiam ainda a proibição de carros em cidades, o transporte público gratuito e criação de ciclovias. "Uma mudança real para um transporte ecológico não é compatível com os interesses econômicos do lobby da indústria automobilística", ressaltaram os organizadores do protesto.

Manifestantes bloquearam entrada do Salão do Automóvel de Frankfurt

Esse foi o terceiro dia de protesto no Salão do Automóvel de Frankfurt

De acordo com a polícia, os protestos foram pacíficos. Apenas algumas discussões entre manifestantes e visitantes da feira foram registradas. Os organizadores do Salão do Automóvel de Frankfurt pediram que os visitantes evitassem as entradas que foram bloqueadas.

Esse foi o terceiro dia de protestos no Salão do Automóvel de Frankfurt. Na abertura da feira para o público, no sábado, cerca de 25 mil pessoas, segundo os organizadores, participaram de uma manifestação para exigir que ao setor automobilístico assuma sua responsabilidade como indústria poluidora do meio ambiente. A polícia registrou, porém, 15 mil manifestantes.

Na quinta-feira, participantes do movimento ambientalista Fridays for Future e ativistas do Greenpeace promoveram um ato de protesto dentro da IAA no momento em que a chanceler federal alemã, Angela Merkel, visitava a feira. Manifestantes invadiram o estande da Volkswagen e subiram nos carros, portando cartazes com a inscrição "Klimakiller" (assassino do clima).

Montadoras apresentam os novos modelos no IAA, que foi aberto por Merkel. Durante a visita ao local, a líder alemã elogiou os esforços do setor para o desenvolvimento de tecnologias neutras em termos de emissões que causam o aquecimento global.

Ambientalistas, porém, criticam as montadoras pela demora de iniciar a transição da mobilidade eletrônica, por investirem cada vez mais em carros que consomem muito combustível, como as SUVs, e por se esquivarem das responsabilidades pela poluição do ar, especialmente devido emissões causadas por veículos movidos a diesel.

CN/ap/dpa/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados