ATIVISTA VIRTUAL MOBILIZA MULTIDÕES NO EGITO | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 12.02.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

ATIVISTA VIRTUAL MOBILIZA MULTIDÕES NO EGITO

Os temas comentados esta semana por nossos leitores foram ativista virtual no Egito, oposição iraniana pretende apoiar protestos, canto coral como terapia, segurança e internet, teólogos católicos e o fim do celibato.

default

ATIVISTA VIRTUAL MOBILIZA MULTIDÕES NO EGITO

A mobilização popular é fundamental para o aperfeiçoamento dos regimes denominados democráticos, sendo a internet um instrumento poderoso nesse sentido, que deve ser mais bem disponibilizado a todos, com mais mobilidade e rapidez a fim de fazer valer os princípios de um autêntico governo para o povo e não do povo em prol do governo, o qual em não poucos lugares se beneficia de variadas formas da população, com o aumento exagerado de tributos, serviços públicos precários, corrupção, má gestão da coisa pública, impunidade.
Renato Wieser

Principalmente em países onde a democracia não é uma realidade, a internet desempenha um papel fundamental. As informações vinculadas através da internet passam a ser a única fonte fidedigna de informação que a população tem a seu dispor.
Fernanda Dias

OPOSIÇÃO IRANIANA PRETENDE IR ÀS RUAS APOIAR PROTESTOS NO EGITO E TUNÍSIA

A mensagem dessa manifestação é clara: os iranianos também não estão satisfeitos com o governo megalomaníaco de seu líder Ahmadinejad. De qualquer forma, esse protesto se encontra distante de se igualar aos que aconteceram na Tunísia e no Egito - países marcados pelo secularismo. No Irã, caso o povo ouse seguir o exemplo de seus vizinhos árabes, certamente a resposta por parte das autoridades será abafar "esse ato contra a ordem" violentamente e sem qualquer piedade. Independentemente do desejo de apenas mudar o sistema político e não empreender uma revolução, os cidadãos da terra dos aiatolás não podem fazer mais do que admirar a coragem de egípcios e tunisianos. O movimento oposicionista no Irã não pode continuar brincando que finge se opor ao regime, precisa se engajar mais e exigir mais liberdade, do contrário, se fracassar, não irá apenas alegrar aos fanáticos que atualmente governam, mas decepcionar o próprio povo.
Vlademir Monteiro

CANTO CORAL PODE AUXILIAR NO TRATAMENTO DE PARKINSON

Apesar de ainda ser um assunto pouco explorado no campo científico, o poder terapêutico da prática musical deve trazer benefícios aos pacientes que o fazem pelo simples fato de gerar um bem-estar sem proporções para aqueles que encontram na música um de seus maiores prazeres! Eu acredito sim, que é possível termos pesquisas nesse campo que signifiquem um futuro promissor para pacientes com doenças degenerativas!
Janaína Borges

A INTERNET OBRIGA A REPENSAR A POLÍTICA DE SEGURANÇA

A ciberdefesa envolve estudo da teoria comportamental. Estudar a teoria comportamental dos "revolucionários do Twitter" é de fundamental importância para pensarmos uma forma de ciberdefesa. Sugiro a princípio algumas perguntas, tais como: O que motiva? Quando começa? Qual a faixa etária dessas pessoas? Qual a cultura ou cibercultura? Quais foram os efeitos? Quanto tempo eles demoram para se reunir? Quanto tempo demoram reunidos em torno de um ideal? Quais são os estragos na segurança nacional?

Essas são apenas algumas perguntas, entre outras, que os pesquisadores da ciberdefesa devem fazer para compreender o "modus operandi" dessas revoluções que derrubam governos e geram o caos. Não estamos lidando com questões morais, se é certo ou errado. Estamos lidando com questões extremamente delicadas, que envolvem todo um país e sobretudo afetam sua economia interna e externa, afetam as relações exteriores como um todo. E muito possivelmente podem jogar uma nação contra outra, gerando guerras e consequentemente, fome, sede e epidemias. [...]

Roberto Küll Júnior

TEÓLOGOS CATÓLICOS PEDEM FIM DO CELIBATO E ORDENAÇÃO DE MULHERES

A Igreja Católica não precisa de reformas. Precisa de unidade de ideias e pensamentos em comunhão com o Papa. Aqui no Brasil temos duas Igrejas Católicas: uma, a Apostólica, outra, Apostólica Romana. Eu pergunto: por acaso Cristo está dividido? Por causa disso há muito filho de Deus perdido aqui...
Janete G. Neves

A posição de um terço dos teólogos católicos alemães, austríacos e helvéticos apelativa ao fim do celibato sacerdotal é resultado de uma visão mundana simplista e contextual. A alegação de que o pleito é devido "à crise pela qual passa a Igreja Católica" é irrelevante aos preceitos de ordem moral e teologal cristã embasadamente reconhecidos pela Igreja. E revela uma flexibilidade pueril nada altruísta ou plenamente imbuída da essência dos valores cristãos. Se eles tivessem embasamento científico real, considerariam os princípios da ciência da estatística. Pelo que temos demonstrados um percentual muito pequeno de problemas de desvios sexuais no âmbito dos consagrados à vida sacerdotal. Em especial no que tange a "abuso sexual de crianças e adolescentes relatados em 2010". Alegação infeliz, que não justifica o pedido. Além do que contraria as instruções de Jesus Cristo àqueles que desejam seguir os seus passos messiânicos missionários. Não há "um novo começo". O mundo não pode ser recomeçado. O cristianismo não pode ser reiniciado, recriado. Tudo foi iniciado em formas e tempos ímpares e insubstituíveis. [...]

Tarcísio Santos de Salles (teólogo católico)

Sou contrário ao fim do celibato, pois penso que quem opta pela vida religiosa já sabe de antemão o que terão de abrir mão. Ademais, não vejo associação entre o casamento e os escândalos sexuais. Quanto à ordenação de mulheres, acredito que é algo a ser repensado pela Igreja, mas, mantendo-se o celibato.
Richard Mathenhauer

Sou favorável ao fim do celibato, acredito que por mais sublimação que possa existir na escolha de ser fiel a Igreja e a Deus, o padre é um ser humano e portanto, o que ele faz com a sua sexualidade? Já está na hora da Igreja evoluir com o espírito do tempo.
Jovita Feitosa



Leia mais