Ataque na Somália deixa ao menos 14 mortos | Notícias internacionais e análises | DW | 25.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ataque na Somália deixa ao menos 14 mortos

Terroristas detonam carro-bomba, invadem hotel e atiram aleatoriamente contra hóspedes, em Mogadíscio. Organização jihadista Al Shabaab, que busca impor um regime islâmico no país, reivindica autoria.

Ao menos 14 pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas num ataque realizado, neste sábado (25/06), contra um hotel em Mogadíscio, na Somália, segundo relatos da policial local. O número de mortos, porém, ainda é especulativo, com outras agências de notícias reportando 15, 17 e até 35 vítimas fatais.

O atentado foi reivindicado pela organização extremista Al Shabaab, que busca derrubar o governo somaliano para impor um regime islâmico nos moldes da sharia.

Um carro bomba foi detonado para destruir o portão do fortemente protegido hotel Naasa Hablood, que é popular entre funcionários do governo, estrangeiros e trabalhadores humanitários. Em seguida, homens armados invadiram o hotel e atiraram aleatoriamente contra os hóspedes.

"O ataque começou com uma explosão de carro-bomba na entrada do hotel matando seis pessoas, entre elas cinco civis e um guarda do hotel", disse o comandante policial, Abdullahi Barise.

Os terroristas chegaram a fazer reféns, antes de serem mortos pelas forças de segurança. "Nós finalmente encerramos o ataque. Os jihadistas remanescentes foram mortos no piso superior", disse o capitão da polícia local, Mohamed Hussein. "Temos até agora a confirmação da morte de 14 pessoas. Algumas morreram nos hospitais."

Somalia Selbstmordanschlag auf Nasahablood Hotel in Mogadischu

Soldados do governo da Somália entram em confronto com terroristas do Al Shabaab, que mantiveram reféns no hotel

Autoridades afirmaram que o número de mortos pode aumentar e que não foi imediatamente determinado o número de pessoas presentes no hotel. A polícia acredita que ao menos quatro homens armados estavam envolvidos no ataque. Tropas do governo bloquearam todas as estradas e ruas que levam ao hotel.

Este ataque ocorreu pouco mais de três semanas depois de outro atentado que teve como alvo o hotel Ambassador, também em Mogadíscio. Naquele ataque, em 1º de junho, morreram 16 pessoas.

PV/ap/rtr/dpa

Leia mais