Ataque a faca em supermercado de Hamburgo deixa um morto | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 28.07.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Ataque a faca em supermercado de Hamburgo deixa um morto

Agressor ataca clientes de supermercado na região de Barmbek e é detido. Seis pessoas ficam feridas, e algumas estão em estado grave. Polícia investiga motivação para o ataque.

Policiais diante de supermercado alvo de ataque em Berlim

Policiais diante do supermercado que foi palco do ataque

Um homem de 50 anos foi morto e outras cinco pessoas foram feridas nesta sexta-feira (28/07) num ataque à faca num supermercado em Hamburgo. Alguns dos feridos estão em estado grave. O agressor foi identificado como um jovem de 26 anos que nasceu nos Emirados Árabes Unidos.

Um agressor atacou os clientes do supermercado com uma faca de cozinha de forma indiscriminada e foi detido por pedestres durante a fuga. As vítimas são cinco homens em idades entre 19 e 64 anos e uma mulher de 50 anos. Um homem de 35 anos ficou ferido ao tentar deter o suspeito.

Não há informações claras sobre o motivo, informou a polícia de Hamburgo no Twitter. De acordo com o porta-voz da polícia local, Timo Zill, os investigadores não descartam nenhuma hipótese e investigam o incidente em todas as direções. Zill ressaltou, porém, que ainda é cedo para determinar com seriedade a motivação do crime.

A polícia confirmou via Twitter que se tratou de um único agressor. 

De acordo com a imprensa alemã, o agressor teria sido identificado como Ahmad A.. Ele teria entrado na Alemanha como refugiado e moraria num abrigo em Hamburgo. Ele também seria conhecido das autoridades e teria contato com islamistas. Segundo o Spiegel Online, o suspeito teria problemas mentais e seria usuário de drogas. A polícia não confirmou essas informações.

O prefeito de Hamburgo, Olaf Scholz, confirmou que o agressor havia solicitado asilo na Alemanha, mas teve o pedido negado e deveria ter sido deportado. No entanto, por não possuir documentos, a deportação ainda não pode ser realizada, acrescentou Scholz.

O ataque ocorreu na região de Barmbek, no norte da cidade, às 15h10 (horário local). O agressor foi preso pela polícia. A área ao redor do supermercado foi bloqueada.

De acordo com o Bild, o agressor teria gritado "Allahu Akbar" ("Deus é grande", em árabe) no supermercado. O porta-voz da polícia disse, porém, que essa informação não foi confirmada.

KG/CN/rtr/dpa

Leia mais