Ataque a faca deixa um morto e dois feridos em Melbourne | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.11.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ataque a faca deixa um morto e dois feridos em Melbourne

Homem invade calçada em veículo em chamas e esfaqueia pedestres no centro da cidade australiana. Após ser atingido por tiro disparado por um policial, agressor morre no hospital. Polícia trata incidente como terrorista.

Carro em chamas na calçada de uma rua em Melbourne, com pedestres acompanhando a tentativa de policiais impedirem um homem de prosseguir com um ataque

Agressor saiu de carro em chamas em movimentada rua comercial

Uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas depois que um homem as esfaqueou numa movimentada rua da cidade de Melbourne nesta sexta-feira (09/11).

David Clayton, porta-voz da polícia do estado de Victoria, cuja capital é Melbourne, confirmou em entrevista coletiva que um agente disparou contra o suposto agressor no peito. O agressor morreu meia hora depois de chegar ao hospital.

"A polícia respondeu ao incidente e quando se aproximou à cena, os oficiais viram um homem que portava uma faca e ameaçava os pedestres", detalhou Clayton. "A polícia não procura mais ninguém neste momento", acrescentou o porta-voz. As três vítimas do ataque eram homens, e os dois feridos seguem no hospital.

Horas depois do incidente, a polícia australiana comunicou tratar o ataque como um ato de terrorismo e que o agressor era conhecido pela Agência de Inteligência.

O chefe da polícia de Victoria, Graham Ashton, evitou dar detalhes sobre a identidade do agressor e os motivos do ataque, mas afirmou que o homem e vários de seus parentes eram conhecidos pela polícia e pela Agência de Inteligência. "Pelo que sabemos até agora desse indivíduo, estamos tratando isso como um ato de terrorismo", disse.

A organização extremista "Estado Islâmico" (EI) reivindicou a autoria do ataque, segundo comunicado da agência Amaq, alinhada com os jihadistas. Segundo uma fonte de segurança da Amaq, cuja autenticidade não pôde ser confirmada, a organização terrorista afirmou que o autor do atentado em Melbourne é "um dos combatentes do EI".

O ataque ocorreu por volta de 16h20 (hora local) quando o detido saiu com uma faca de um veículo em chamas após chocá-lo contra a entrada de um shopping center na movimentada rua Bourke.

Em seguida, o agressor atacou vários pedestres, um dos quais morreu no local. Os dois sobreviventes estão hospitalizados, e nenhum deles se encontra em estado grave.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o veículo em chamas se deslocando lentamente para a calçada, assim como as agressões de um homem alto vestido de calça branca e túnica preta enquanto a polícia tentava impedi-lo.

"Vi o carro em chamas. As pessoas corriam e gritavam", disse uma testemunha à emissora local Channel 9. Outra testemunha explicou à emissora ABC que saiu correndo do local onde trabalha depois de ouvir o que parecia ser um disparo e encontrou um dos feridos.

"Havia um homem mais velho na minha frente, literalmente aos meus pés. E havia muito sangue", explicou esta testemunha, que acrescentou que vários pedestres tentaram ajudar o ferido, mas que "não sabiam o que fazer porque evidentemente a situação era um caos".

As autoridades pediram aos residentes de Melbourne que evitassem ir ao centro da cidade, onde foram suspensos alguns serviços de bonde.

A rua Bourke foi palco em 20 de janeiro de 2017 de um atropelamento deliberado no qual seis pessoas morreram, entre elas um bebê e uma menina de dez anos, cometido por um homem de 28 anos de idade.

PV/efe/dpa/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais