As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (21/05) | Notícias internacionais e análises | DW | 21.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (21/05)

Mundo tem mais de 5 milhões de casos confirmados. Governo italiano faz apelo a jovens para que evitem festas. Bebê de apenas dois dias morre por covid-19 na África do Sul. Dinamarca antecipa reabertura da vida cultural.

Italianos caminham pelas ruas de Milão

Itália reabriu restaurantes e lojas na última segunda-feira

Resumo desta quinta-feira (21/05):

  • Mundo tem mais de 5 milhões de infectados por coronavírus
  • Brasil tem total de 291 mil casos, 18,8 mil óbitos e 116.683 recuperados 
  • Espanha registra menor número de óbitos por covid-19 em mais de dois meses
  • Dinamarca antecipa reabertura da vida cultural
  • Japão suspende estado de emergência em mais três regiões

Transmissão encerrada. As atualizações estão no horário de Brasília:

17:40 – Cerca de 10 mil profissionais de saúde foram infectados no Irã

Cerca de 10 mil profissionais de saúde contraíram o novo coronavírus no Irã, segundo informou o Ministério da Saúde iraniano. Até abril, mais de 100 haviam morrido, mas os números devem ser consideravelmente maiores agora, porém, não foram divulgados. O país é dos mais atingidos pela pandemia de covid-19 e sofre com um sistema de saúde deficitário. Com o número de infecções aumentando recentemente, autoridades temem uma segunda onda de infecções.

17:00 - Paraguai decide manter fronteiras fechadas

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, afirmou nesta quinta-feira que as fronteiras do país seguirão fechadas, principalmente, devido ao avanço da covid-19 no Brasil.

"Seguirão fechadas por causa da situação epidêmica que nossos vizinhos têm, principalmente, nossos irmãos do Brasil. Isso nos obriga a seguir com medidas restritivas", disse o chefe de governo. De acordo com Benítez, a decisão de impedir a entrada e saída do país, em especial, pela passagem brasileira por terra, evitou uma grande crise provocada pelo novo coronavírus no Paraguai.

"Enquanto não estiver controlada a propagação do vírus, não iremos abrir as fronteiras", explicou o chefe de governo, se referindo à situação dos vizinhos.

Até o momento, o Paraguai registrou apenas 11 mortos em decorrência da covid-19 e 836 casos confirmados. Segundo Benítez, a maior quantidade de infecções no país foi registrada em hospedagens destinadas a paraguaios que retornaram do exterior e que precisam cumprir quarentena.

15:30 – Wuhan proíbe consumo de animais selvagens

A metrópole chinesa de Wuhan, onde começou a pandemia de covid-19, proibiu o comércio, a criação e o consumo de animais selvagens. Cientistas afirmam que o vírus Sars-Cov-2 passou de um animal para um humano. Provavelmente, ele se originou num morcego, antes de passar por outro mamífero até chegar ao homem.

O contágio teria ocorrido num mercado em Wuhan onde eram comercializados animais selvagens. A proibição na cidade ocorre depois de o governo da China anunciar a intenção de proibir em todo o país o comércio de animais selvagens. 

Mercado de Wuhan onde surgiu a pandemia de covid-19

Sars-Cov-2 teria passado para humanos em mercado de Wuhan

13:30 – Espanha registra menor número de óbitos por covid-19 em mais de dois meses

O Ministério da Saúde da Espanha anunciou nesta quinta-feira que o país registrou 48 mortes em decorrência da covid-19 em 24 horas, o menor número desde meados de março. O total de mortes é de 28.090.

Pelo quinto dia consecutivo, a marca de óbitos diária ficou abaixo de 100. Enquanto isso, novos 344 casos foram contabilizados, fazendo a quantidade total geral chegar a 233.037.

Os números divulgados, no entanto, não contam com dados referentes à Catalunha, uma das mais regiões mais afetadas, devido a "problemas de validação".

Depois que esses dados forem contabilizados, o número de novas infecções deve ser de cerca de 400 e o de mortes cerca de 50, afirmou, durante entrevista coletiva, o porta-voz do Ministério da Saúde para a epidemia, o epidemiologista Fernando Simón.

Apesar dos números positivos, Simón expressou preocupação com as imagens de hoje nas praias de Barcelona, que já podiam ser usadas para banhos de sol e em que se viam numerosos casos de pessoas em um grupo e falta de respeito à distância social recomendada, apesar da vigilância policial.

Praia em Barcelona

Habitantes de Barcelona aproveitaram para ir à praia nesta quinta

13:00 – Bicicleta vivencia boom na crise de coronavírus

Longas filas, estoque esgotado: mesmo os revendedores não esperavam tanta procura. A bicicleta é o meio de transporte do momento na Alemanha e grande parte deste sucesso se deve à pandemia de covid-19.

Durante semanas em toda a Alemanha, lojas de bicicleta tiveram que fechar devido à pandemia da coronavírus, ou seja, justamente quando as vendas normalmente se aquecem com o início da temporada de primavera. "No momento em que as primeiras florezinhas brotam do chão, as pessoas querem andar de bicicleta", disse o vendedor Christoph Hopp, acrescentando que esse é o caso todos os anos.

"É claro que, com os bloqueios deste ano, tudo ficou acumulado", afirmou o vendedor. Agora a procura é "simplesmente alucinante". Mas não é apenas o belo clima de primavera ou o desejo reprimido de consumo que está levando as pessoas a procurar a bicicleta.

"Com a covid-19, as bicicletas são o meio de transporte do momento", explicou à DW David Eisenberger, da Associação Alemã de Fabricantes de Bicicletas (ZIV). "Percebemos isso não apenas nas ruas, mas também pela corrida às lojas de bicicletas".

Alguns sobem em suas bicicletas para escapar do isolamento caseiro e permanecer em forma. Outros se deixam da obrigatoriedade da máscara de proteção no transporte público. "É por isso que pessoas, que iam antes talvez trabalhar de metrô, estão agora subindo e descendo de suas bicicletas." Além disso, em várias metrópoles alemãs, as ciclovias também foram ampliadas.

Ler reportagem completa

12:20 – Governo italiano faz apelo aos jovens para que evitem reuniões e festas

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, pediu nesta quinta-feira, ao comparecer à Câmara dos Deputados, para que os jovens evitem reuniões e festas, além de solicitar aos cidadãos italianos que permaneçam no país durante as férias de verão.

"Um apelo a todos e principalmente aos jovens: agora não chegou a hora de festas e vida noturna. Agora, mais do que nunca, é necessário respeitar a distância de segurança e o uso de máscaras. Se expor significa expor-se a uma infecção", disse Conte, ao falar no Parlamento sobre a fase 2 de desconfinamento após o fechamento do país por conta da pandemia da covid-19.

Desde a última segunda-feira, a Itália reabriu restaurantes e lojas, com muitos governantes locais denunciando o comportamento, principalmente de jovens, que saíram em grupos para se encontrar em bares e regiões de vida noturna e áreas de lazer.

Conte iniciou seu discurso assegurando que, ainda hoje, três meses após o primeiro caso detectado no país, ele pode dizer que "as decisões tomadas, tão dolorosas e que provavelmente afetam alguns direitos fundamentais, estavam corretas."

Agora "chegou a hora dar reinício ao mecanismo econômico e produtivo, depois de superar a fase mais aguda da emergência, mas o desafio que nos espera não é menos insidioso do que o enfrentado no início da emergência", acrescentou.

Ele explicou que a Itália ocupa o primeiro lugar no número de testes em relação a seus habitantes e defendeu que nessa nova fase não só existe confiança na "autodisciplina das pessoas", mas que "foi criado um sistema articulado para controlar as tendências epidemiológicas" e citou os testes moleculares e sorológicos que serão realizados voluntariamente nos próximos dias.

11:00 – Japão suspende estado de emergência em mais três regiões

O governo do Japão decidiu nesta quinta-feira suspender o estado de emergência em outras três províncias, embora tenha decidido manter essa medida em Tóquio e em outras quatro regiões onde os novos casos de covid-19 ainda não foram suficientemente reduzidos.

"Decidimos suspender o estado de emergência em três províncias de Kansai (oeste) depois de discutir a situação do coronavírus com nosso comitê de especialistas", disse o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

A decisão significa que Osaka, Kyoto e Hyogo voltaram à normalidade. No entanto, Tóquio e as três províncias vizinhas (Chiba, Saitama e Kanagawa), além de Hokkaido (norte), continuarão sob alerta, o que significa que a recomendação de não sair de casa para os cidadãos e o fechamento de inúmeras empresas e espaços públicos seguem em vigor.

Tóquio registrou 5 mil novas infecções por coronavírus até agora, a maioria dos mais de 17 mil casos e quase 800 mortes registradas em todo o Japão, embora os contágios na região da capital também tenham se estabilizado nas últimas semanas.

Abe observou que as infecções estão diminuindo em Tóquio e nas outras províncias que permanecerão provisoriamente em estado de emergência, acrescentando que nessas regiões "a pressão sobre os serviços de saúde também foi aliviada", dois dos critérios estabelecidos por autoridades para um regresso à normalidade.

Se essas condições forem mantidas, o governo discutirá com o grupo de especialistas a possível suspensão do alerta de saúde na capital e nas demais regiões "logo na próxima segunda-feira", disse o primeiro-ministro japonês.

Estado de emergência é suspenso em mais três regiões do Japão

Estado de emergência é suspenso em mais três regiões do Japão

10:30 – Bebê de apenas dois dias morre por covid-19 na África do Sul

Um bebê prematuro de apenas 2 dias morreu por covid-19 na África do Sul. O balanço, divulgado na noite de quarta-feira pelo governo do presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, indica que a mãe e o bebê testaram positivo para o novo coronavírus.

"Infelizmente, registramos a primeira morte neonatal relacionada à covid-19. O bebê tinha dois dias e nasceu prematuro. O bebê teve dificuldades nos pulmões que exigiam suporte por ventilação (pulmonar) imediatamente após o nascimento", lamentou o Ministério da Saúde da África do Sul, em comunicado onde anunciaram outros 26 novos óbitos.

A África do Sul, com 18.003 casos e 339 mortes, é o país mais atingido pela pandemia em toda a África, onde foram registrados quase 95 mil infecções e aproximadamente 3 mil vítimas.

10:20 – Dinamarca antecipa reabertura da vida cultural

O governo da Dinamarca anunciou nesta quinta-feira que antecipará em duas semanas a reabertura da vida cultural e a volta às aulas do ensino médio, além de flexibilizar os critérios para a entrada de estrangeiros no país.

Museus, teatros, cinemas, centros de arte, aquários, zoológicos e jardins botânicos poderão reabrir suas portas imediatamente, e a partir do próximo dia 27, as aulas serão retomadas em todos os institutos de ensino médio.

Os funcionários do setor público que ainda não o fizeram poderão retornar ao seu trabalho físico, exceto na capital Copenhague.

Os residentes em outros países nórdicos e na Alemanha que tenham família na Dinamarca ou casa de veraneio poderão entrar no país a partir de segunda-feira, assim como também serão permitidas viagens de negócios.

O governo também anunciou que, antes do final do mês, apresentará um plano para uma reabertura controlada do turismo "aceitável do ponto de vista da saúde".

A proibição de concentrações de mais de dez pessoas continuará em vigor até 8 de junho e as casas noturnas, casas de shows e esportes indoor continuarão fechados até agosto.

A Dinamarca iniciou a fase de normalização há um mês e foi o primeiro país da União Europeia a reabrir creches e escolas. As autoridades de saúde dinamarquesas controlaram a epidemia há alguns dias e descartaram uma segunda onda de infecções.

Com 5,7 milhões de habitantes, a Dinamarca, registrou 11.315 casos e 554 mortes por covid-19.

05:00 – Mundo tem mais de 5 milhões de infectados por coronavírus

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, que compila dados mundiais sobre a epidemia de covid-19, o mundo registrou mais de 5 milhões de casos de contágio por coronavírus nesta quinta-feira (21/05).

Apenas cinco países (EUA, Rússia, Brasil, Reino Unido e Espanha) são responsáveis por mais da metade desses casos.

Com 1.551.853 de casos até a manhã desta quinta-feira, os EUA estão em 1° lugar no ranking de infecções relatadas, seguidos por Rússia (308.705), Brasil (291.579), Reino Unido (249.619) e Espanha (231.555).

Considerando um período de 24 horas, foram contabilizados pela instituição americana 23.604 novos casos e outras 1.369 mortes nos EUA.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde na quarta-feira apontam que o Brasil identificou 888 mortes por covid-19 em 24 horas, elevando o total para 18.859. O país registrou ainda 19.951 novos casos de coronavírus nesta quarta-feira.

A Universidade Johns Hopkins contabilizou ainda 328.227 mortos em todo o planeta. Mais de 1,8 milhão de doentes foram considerados curados.

Leia a notícia completa

00:00 – Resumo dos principais acontecimentos de quarta-feira (20/05):

  • Covid-19 tem maior alta global de casos confirmados num só dia
  • Governo Bolsonaro amplia uso da cloroquina
  • Espanhóis terão que usar máscara no rosto também na rua

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter