As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (15/05) | Notícias internacionais e análises | DW | 15.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (15/05)

China não registra mortes por covid-19 há um mês. Itália planeja relaxamento gradual das proibições de viagens dentro do país. Economia alemã recua 2,2% no primeiro trimestre.

Chinesas de máscara em Pequim

O último dia em que a China reportou uma morte em decorrência da covid-19 foi 14 de abril

Resumo desta sexta-feira (15/05):

  • Mundo tem mais de 4,4 milhões de casos, 302 mil mortes e 1,5 milhão de recuperados
  • Brasil registra 218.223 infecções, 14.817 óbitos e 84.970 recuperados
  • China não registra mortes por covid-19 há um mês
  • Economia alemã recua 2,2% no primeiro trimestre
  • Alemanha planeja relaxar quarentena para viajantes europeus
  • Itália deve aliviar gradualmente proibições de viagens dentro do país

Transmissão encerrada. As atualizações estão no horário de Brasília:

20:40 – Os riscos da retomada da Bundesliga em meio à pandemia

Nas últimas semanas ficou clara a posição especial que o futebol ocupa na Alemanha: enquanto a população deve usar máscaras de proteção em público e manter uma distância mínima entre duas pessoas, os jogadores foram liberados de tais medidas – ao menos dentro de campo.

Muitos especialistas concordam que é questionável já voltar a realizar grandes eventos, tanto pelos riscos à saúde envolvidos como pelo exemplo que isso dá à população. Mesmo que nenhum espectador possa entrar nas arenas, até 300 pessoas estarão presentes em cada jogo: repórteres, cinegrafistas, médicos e fisioterapeutas – além, claro, dos próprios jogadores.

O ex-atacante Heiko Herrlich, agora treinador do FC Augsburg, time da primeira divisão, faz parte de um grupo de risco da covid-19 por ter desenvolvido um tumor cerebral há 20 anos. Herrlich tomou sua própria decisão: segundo declarou ao jornal Saarbrücker Zeitung, ele decidiu se expor a um maior risco de infecção por estar ansioso para voltar a desempenhar sua tarefa.

Leia a reportagem completa

20:00 – Covid-19 já chegou a 38 povos indígenas no Brasil

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) informou que 38 povos indígenas do país já foram afetados pelo novo coronavírus. A associação contabilizou 446 infecções e 92 mortes em comunidades indígenas.

"É com assustadora velocidade que o vírus chega aos territórios indígenas de todo o país", afirmou a Apib em comunicado.

A maioria das infeções foi registada na Amazônia, onde está localizada a maioria das comunidades isoladas. A Apib indicou que foram também registados casos em povos do sul do Brasil, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, assim como nas regiões nordeste e centro-oeste.

Na quinta-feira, a Comunidade Parque das Tribos-Tarumá despediu-se do cacique Messías Kokama, considerado o principal líder indígena da cidade de Manaus, que morreu devido à covid-19, aos 53 anos.

Indígena chora em enterro do cacique Messías Kokama

Indígena chora em enterro do cacique Messías Kokama, em Manaus

19:50 - Campeonato Belga é encerrado oficialmente

A Assembleia Geral da Pro League, formada por representantes dos times das duas primeiras divisões do campeonato nacional de futebol belga, confirmou nesta sexta-feira o fim da temporada e a proclamação com o Club Brugge como campeão da elite do país.

No dia 2 de abril, o Conselho de Administração da liga que organiza as competições havia recomendado o encerramento, com o título ficando com a equipe primeira colocada após a conclusão das 29 rodadas disputadas até então.

O Club Brugge liderava o campeonato no momento da paralisação com 70 pontos, 15 a mais que o Gent, segundo colocado. As duas equipes serão as representantes da Bélgica na próxima Liga dos Campeões, Charleroi, Antuérpia, Standard de Liège vão para a Liga Europa.

Diferente do que o Conselho de Administração sugeriu, de não haver rebaixamento, a Assembleia Geral da Pro League decidiu por decretar a queda para a segunda divisão do Waasland-Beveren.

19:00 – Brasil registra mais de 15 mil novos casos de covid-19 em 24 horas

Pelo terceiro dia consecutivo, o Brasil tem recorde de casos confirmados de covid-19. O Ministério da Saúde contabilizou nesta sexta-feira 15.305 novas infecções, o número mais alto já registrado em um único dia. Com isso, o total de infectados chega a 218.223. 

O país registrou ainda 824 mortes em 24 horas, elevando para 14.817 o total de vítimas. Outros 2.300 óbitos estão em investigação. Ainda segundo o ministério, 84.970 pacientes já se recuperaram da covid-19.

O estado mais atingido é São Paulo, com 58.378 casos confirmados e 4.501 mortes. O Ceará, por sua vez, tem 22.490 infectados e 1.476 óbitos, e o Rio de Janeiro, 19.987 casos e 2.438 mortos. Completam a lista dos cinco estados mais afetados o Amazonas (18.392 casos e 1.331 mortes) e Pernambuco (16.209 casos e 1.381 mortes).

18:00 – Portugal reabrirá praias em 6 de junho

Portugal reabrirá oficialmente as suas praias ao público no dia 6 de junho com normas de distanciamento social. Uma distância mínima de 1,5 metro deve ser respeitada entre grupos. O primeiro-ministro português, António Costa, disse que também terá de haver uma distância de 3 metros entre os guarda-sóis e os toldos, que não poderão ser ocupados por mais de cinco pessoas.

A ocupação de cada praia poderá ser consultada em tempo real através de um aplicativo móvel que as classificará por cor, com verde para baixa ocupação, amarelo para ocupação razoável e vermelho para lotação máxima. Além disso, todas as atividades esportivas com duas ou mais pessoas serão proibidas, exceto esportes aquáticos, aulas de surf e esportes similares.

"A praia não apresenta um risco especial [de contágio]", declarou Costa, que informou que não haverá um monitoramento especial do cumprimento das medidas, mas que todos devem ser responsáveis pelo seu comportamento.

No caso de um descumprimento em certas praias, onde costuma haver acúmulo excessivo de pessoas, o espaço poderá ser fechado por lei.

Costa também anunciou que a situação epidemiológica do país permite que todas as medidas de saída gradual da quarentena anunciadas para a segunda fase, que começará na próxima segunda-feira, avancem. Está programada a reabertura de restaurantes e cafés, com limitação de capacidade de 50%, terraços e lojas de até 400 metros quadrados.

O chefe do governo português disse que espera que nos próximos 15 dias sejam criadas as condições necessárias a nível epidemiológico para que em junho seja removida a limitação da capacidade desses locais e que possam operar somente com regras de distância e barreiras entre clientes.

Na segunda-feira, também voltará a haver aulas presenciais para alunos de 16 e 17 anos, mas apenas nas matérias sujeitas a exame. Será obrigatório o uso de máscaras. As creches também serão abertas, embora os pais que preferirem manter seus filhos em casa possam continuar com o apoio financeiro que estão recebendo por mais duas semanas.

Além disso, serão retomadas as visitas de familiares a asilos e lares de recuperação, com restrições: uma ida semanal de no máximo 90 minutos, por uma única pessoa, e com máscara e medidas de higiene.

Para a próxima fase, que será avaliada em 15 dias e terá início em 1º de junho, está prevista a abertura de lojas de mais de 400 metros e shopping centers, cinemas e teatros, com limitações de capacidade.

Praia Vila Nova de Gaia, em Portugal, vazia

Praias foram fechadas em Portugal para conter pandemia

17:30 – Grécia anuncia reabertura gradual de algumas ligações marítimas e aéreas

A Grécia anunciou a reabertura gradual de algumas ligações marítimas e aéreas, para facilitar o regresso dos turistas ao país. A partir de segunda-feira, visitantes poderão viajar pela Grécia continental e ir para Creta de barco ou chegar por estrada à ilha de Evia, anunciou o secretário-geral da Proteção Civil, Nikos Hardalias.

Para o transporte marítimo, os passageiros devem preencher um questionário sobre o seu estado de saúde, usar uma máscara após a medição da temperatura antes do embarque e respeitar as distâncias em barcos que viajarão com 50% da sua lotação.

As mesmas regras serão aplicadas quando as ligações marítimas entre a Itália e a Grécia forem retomadas, assim como com todas as outras ilhas gregas.

A tentativa de regresso à normalidade passa também pelos transportes aéreos, onde será obrigatório o uso de máscara. O governo grego anunciou a retomada gradual de voos domésticos a partir de segunda-feira, enquanto algumas companhias aéreas já anunciaram, também, a retomada de voos dentro da União Europeia.

O governo grego também estendeu até 31 de maio a suspensão de voos para países fora da União Europeia, assim como para Itália, Espanha, Holanda e Reino Unido.

16:30 – Pela primeira vez em quase dois meses, Dinamarca não registra mortes por covid-19

A Dinamarca anunciou nesta sexta-feira que não registrou nenhuma morte por covid-19 em 24 horas. Essa é a primeira vez em quase dois meses que nenhum óbito ocorre no país europeu em decorrência do novo coronavírus.

O ministro da Saúde dinamarquês, Magnus Heunicke, afirmou que a notícia é um "marco". "Estou muito feliz e agradecido pelo resultado. A epidemia ainda está aqui, mas é um bom dia", acrescentou.

Com pouco mais de 5 milhões de habitantes, o país europeu registrou 10.791 casos de covid-19 e 537 mortes.

Para conter o avanço da pandemia, a Dinamarca fechou fronteiras, escolas, lojas, museus, igrejas, restaurantes e bares em meados de março. Desde meados de abril, o país iniciou um processo de reabertura, primeiro com escolas e jardins de infância. Nesta semana, foi a vez de lojas reabrirem e, na próxima semana, serão restaurantes, bibliotecas, cafés e igrejas.

14:45 – Eslovênia se declara livre do coronavírus

A Eslovênia se tornou o primeiro país europeu a declarar o fim da epidemia de covid-19 em seu território. O governo do Estado-membro da União Europeia (UE) afirmou nesta sexta-feira que a doença está sob controle e que, portanto, não há mais a necessidade de medidas extraordinárias de saúde.

Segundo o governo esloveno, os residentes da UE poderão, a partir de agora, cruzar livremente a fronteira do país a partir da Áustria, Itália e Hungria em postos de controle predeterminados, enquanto a maioria dos cidadãos não europeus deverá adotar uma quarentena de 14 dias.

A pequena nação alpina de dois milhões de habitantes soma hoje 1.464 casos confirmados e 103 mortes por covid-19, segundo contagem da Universidade Johns Hopkins.

Leia a notícia completa

14:00 – OMS alerta para segunda onda de infecções na Europa

O diretor para Europa da Organização Mundial de Saúde (OMS), Hans Kluge, disse nesta sexta-feira que o continente europeu pode enfrentar uma segunda onda mortal de covid-19 no inverno. Ao jornal britânico The Telegraph, Kluge afirmou que, apesar de os países estarem começando a flexibilizar as restrições, não é o momento de comemoração, mas de preparação, no qual as capacidades em hospitais deveriam ser aumentadas e sistemas públicos de saúde, fortalecidos.

Mesas de restaurante na calçada

Alemanha reabriu restaurantes nesta sexta

12:00 – Estudo aponta evidências de que bolsonaristas violam mais a quarentena

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro tendem a desrespeitar mais o isolamento social, uma medida amplamente reconhecida como eficaz para reduzir o contágio pelo novo coronavírus, revelou um estudo estatístico conduzido na USP.

Cientistas de dados encontraram três evidências de que os bolsonaristas praticam menos o isolamento do que o resto da população. O estudo se baseou em dados sobre mobilidade fornecidos pelo Google e pelo governo de São Paulo, no percentual de votos em Bolsonaro no primeiro turno das eleições de 2018 e em levantamentos realizados pelo Datafolha.

Leia a reportagem completa

10:27 – Alemanha planeja relaxar quarentena para viajantes europeus

A Alemanha planeja relaxar as medidas de quarentena impostas a pessoas vindas dos demais Estados-membros da União Europeia (UE), das nações que formam o espaço de fronteira aberta Schengen – que incluem a Suíça, Islândia, Noruega e Liechtenstein – e do Reino Unido, informou o Ministério do Interior em Berlim. 

O período de quarentena de 14 dias será recomendado apenas para as pessoas vindas de locais com altos índices de infecções pelo novo coronavírus. Detalhes de como isso será regulado ainda precisam ser elaborados, mas até lá a quarentena será imposta apenas a viajantes vindos de países de fora do bloco europeu.

09:45 –Itália planeja relaxamento gradual das proibições de viagens

Após várias semanas de rígidas restrições impostas em razão da pandemia de covid-19, a Itália permitirá viagens entre as regiões do país a partir do dia 3 de junho, segundo o rascunho de um decreto ao qual veículos de imprensa tiveram acesso.

Com a diminuição dos casos da doença, o país – o primeiro na Europa a impor medidas mais rígidas para deter a disseminação do novo coronavírus – começa a relaxar algumas das proibições.

As restrições de movimento, que estão entre as várias medidas de confinamento impostas pelo governo em março, devem ser removidas no dia 18 de maio para o deslocamento dentro das regiões, e no dia 3 de junho para as viagens inter-regionais. 

Dessa forma, o governo espera salvaguardar as férias de verão na metade do ano, quando um grande número de italianos deixam suas cidades rumo a destinos turísticos dentro e fora do país. 

As fábricas puderam retomar suas atividades no dia 4 de maio, e o comércio deve ser reaberto na próxima segunda-feira. As regiões poderão reativar todos os setores da economia que ainda permanecem fechados, contanto que os protocolos de segurança sejam observados. 

As autoridades de saúde vão monitorar a situação para assegurar que as infecções se mantenham sob controle, e os prefeitos poderão decidir pelo fechamento de locais públicos, caso as regras de distanciamento social não estejam sendo observadas. 

Quase 31,4 mil italianos morreram de covid-19 desde o início da epidemia no país, no dia 21 de fevereiro. A Itália teve o terceiro maior número de mortes em todo o mundo, atrás do Reino Unido e dos Estados Unidos. O total de casos no país chegou a 223.096, o quinto maior do planeta.

08:54 – Mais estados alemães permitem reabertura de restaurantes e bares

Na Alemanha, cinco estados permitiram a reabertura de restaurantes e bares nesta sexta-feira, com restrições que variam para cada região. 

A cidade-estado de Berlim e os estados de Brandemburgo, Hessen, Saxônia e Turíngia adotaram medidas semelhantes às que estão em vigor na Renânia do Norte-Vestfália, Mecklenburgo-Pomerânia Ocidental, Baixa Saxônia, Renânia Palatinado e na cidade-estado de Hamburgo.

Apesar de algumas diferenças regionais, as regras têm em comum a imposição do distanciamento obrigatório de pelo menos 1,5 metro entre cadeiras e mesas. Já em Hessen, o governo impôs um limite de 5 metros quadrados por cliente. 

Em Brandemburgo, os frequentadores devem desinfectar as mãos antes de se sentarem às mesas. Em alguns casos, os clientes devem fornecer informações de contato para facilitar o rastreamento de possíveis infecções.

Em vários estados, os garçons e atendentes dos bares devem usar máscaras que cubram a boca e o nariz, ainda que em algumas regiões esta seja apenas uma recomendação. Na Saxônia, apenas cardápios laváveis são permitidos. 

Em muitos casos, será permitido o máximo de famílias de dois domicílios diferentes por mesa. Os demais estados do país devem liberar a reabertura dos restaurantes entre os dias 18 e 25 de maio. 

08:30 – Economia alemã recua 2,2% no primeiro trimestre

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a economia alemã recuou 2,2% no primeiro trimestre deste ano em relação ao período anterior – a maior contração trimestral registrada desde a crise financeira de 2008/2009 e a segunda maior desde a Reunificação do país, em 1990, anunciou anunciou o Departamento Federal de Estatísticas (Destatis) nesta sexta-feira (15/05). 

A agência também revisou os dados do PIB para o último trimestre de 2019, de crescimento zero para uma contração de 0,1%, o que significa que o país já sofreu contrações em dois trimestres consecutivos – o que configura uma recessão técnica.

Segundo analistas, a queda registrada é apenas um prelúdio do que ainda está por vir em consequência da crise provocada pela pandemia, que, em meado de março, levou ao fechamento do comércio e de fábricas na Alemanha.

Leia a notícia completa

06:05 – China não registra mortes por covid-19 há um mês

A China completou nesta sexta-feira um mês sem reportar nenhuma nova morte em decorrência do novo coronavírus. Atualmente, há somente 91 pacientes com covid-19 em tratamento no país, segundo dados oficiais.

A Comissão Nacional de Saúde reportou quatro novos casos da doença nesta sexta, sendo todos resultado de transmissão local na província de Jilin, no nordeste do país. O último dia em que a comissão havia reportado uma morte em decorrência da covid-19 foi 14 de abril.

Além dos 91 pacientes em tratamento, há outros 623 em quarentena por uma suspeita de infecção ou por terem testado positivo para o coronavírus sem apresentar sintomas.

No total, a China registrou 4.633 mortes em decorrência da covid-19 e 82.933 infecções desde que o coronavírus foi detectado pela primeira vez no fim do ano passado, na cidade de Wuhan.

Resumo dos principais acontecimentos de quinta-feira (14/05):

  • Mortes por covid-19 no mundo passam de 300 mil
  • Pelo segundo dia consecutivo, Brasil tem recorde de casos de coronavírus em 24 horas
  • Alemanha estima quase 100 bilhões de euros a menos em receitas tributárias
  • Japão suspende estado de emergência na maior parte do país
  • Estudo associa covid-19 a doença inflamatória em crianças
  • ONU alerta para aumento do sofrimento psicológico durante a pandemia

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais