As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (06/06) | Notícias internacionais e análises | DW | 06.06.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (06/06)

Índia ultrapassa Itália em número de contágios. OMS revê recomendações sobre máscaras. África se aproxima de 5 mil mortes. Afeganistão admite que números são bem mais altos que os oficiais

Cadáver envolto e socorristas na Índia

índia é sexto país mais afetado pela covid-19

Resumo deste sábado (06/06):

  • Mundo tem mais de 6,7 milhões de casos de covid-19, 395 mil mortes e 2,8 milhões de recuperados
  • Brasil tem 645.771 casos confirmados, 35.026 mortes e 254.963 recuperados
  • Índia tem 2º pico de contágios às vésperas de liberalização
  • OMS revê recomendações sobre máscaras protetoras
  • Estudo alerta para presença significativa do coronavírus em regiões da Itália

Transmissão encerrada. As atualizações estão no horário de Brasília:

17:45 – Governo deixa de divulgar total de mortos e casos de covid-19

Com o avanço da covid-19 no Brasil, o governo de Jair Bolsonaro vem diminuindo a transparência dos dados sobre a epidemia, passando a atrasar a divulgação destas informações, e nesta sexta-feira (05/06) simplesmente deixou de informar o número total de mortes e de casos. O boletim diário divulgado pelo Ministério da Saúde mostrou apenas as infecções e óbitos confirmados nas últimas 24 horas.

A mudança aparentemente veio para ficar e foi confirmada neste sábado pelo próprio presidente, que repostou uma nota divulgada pelo Ministério da Saúde que diz ter adequado a divulgação dos dados. Na nota, é alegado que a divulgação apenas dos dados das 24 horas "permite acompanhar a realidade do país".

Leia a notícia completa

15:10 – Afeganistão admite que números são bem mais altos que os oficiais

Autoridades do Afeganistão admitiram que o número real de casos e mortes por coronavírus é muito superior aos oficiais, após reconhecerem que o país está ficando sem leitos hospitalares e equipamentos de tratamento.

"A transmissão comunitária de coronavírus é muitas vezes maior do que os números apresentados. Devido à limitada capacidade de testes, não podemos apresentar todos os números à sociedade", disse o ministro afegão de Saúde Pública, Jawad Osmani, em entrevista coletiva.

Com uma população de cerca de 32 milhões de habitantes, o Afeganistão realizou até agora apenas 46 mil testes para o vírus SARS-CoV-2.

O ministro afirmou ainda que demora entre cinco e dez dias para processar e apresentar os resultados dos testes, devido à baixa capacidade dos laboratórios do país. "A capacidade de testes em todos os laboratórios é de 2 mil por dia, mas a quantidade de amostras coletadas diariamente é dez vezes maior", explicou.

De acordo com os últimos números oficiais do Ministério da Saúde, o Afeganistão contabilizou 19.551 casos e 327 mortes em decorrência da covid-19.

14:30 – Estudo alerta para presença significativa do coronavírus em regiões da Itália

O Instituto Superior de Saúde da Itália afirmou neste sábado que não há situações críticas de coronavírus no país, mas ressaltou que em certas regiões ainda há uma presença significativa que não deve ser subestimada.

A análise realizada pelo instituto se baseia em dados obtidos entre 25 e 31 de maio e ressalta que nenhuma região possui um número básico de reprodução instantânea (Rt) – que indica a capacidade de propagação do vírus – superior a 1, um limiar considerado uma barreira à propagação da pandemia.

Embora a curva de transmissão esteja sob controle, os pesquisadores disseram que a Lombardia, a região mais afetada pela crise sanitária, ainda tem um Rt elevado, de 0,91 na semana analisada, o que significa que as autoridades regionais e nacionais devem permanecer atentas a essa área.

De fato, ontem a Itália registrou 518 novas infecções pelo vírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas. Dessas, mais de 400 foram apenas da Lombardia.

"Em algumas partes do país, a circulação do coronavírus ainda é significativa", disse o instituto italiano, que defende que a população deve permanecer muito vigilante e respeitar as medidas de segurança e prevenção. "A pandemia na Itália ainda não acabou", alertou.

A Itália abriu suas fronteiras com países da União Europeia na última quarta-feira sem a obrigatoriedade da quarentena, permitindo, assim, a livre mobilidade em todo o território nacional.

Uma das nações mais atingidas pela pandemia, a Itália contabiliza 33.774 mortes causadas pelo coronavírus e 234.531 casos.

Mulheres caminham por Milão

Itália abriu suas fronteiras para turistas da União Europeia na última quarta-feira

12:00 – Rússia registra 2º medicamento local contra Covid-19

O Ministério da Saúde da Rússia informou neste sábado que registrou um segundo medicamento local para o tratamento contra a covid-19, criado pela empresa de biotecnologia Biocad.

O novo fármaco, denominado Levilimab e que será comercializado sob o nome Ilsira, é um inibidor da glicoproteína interleucina-6 e possibilita conter a resposta imunológica do organismo e evitar os efeitos causados pelo novo coronavírus em casos graves.

"É recomendado tratar pacientes graves, quando se desenvolve a chamada tempestade de citocinas, a inflamação exagerada do coronavírus que danifica tecidos e órgãos, particularmente o tecido pulmonar", explicou o ministério em comunicado.

O novo medicamento, inicialmente desenvolvido para tratar a artrite reumática, foi registrado no chamado trâmite rápido, um procedimento previsto pelo governo para situações de emergência. No último domingo, o Ministério da Saúde russo registrou o primeiro medicamento antiviral a tratar contra o coronavírus, o Afivavir, que demonstrou eficácia durante os ensaios clínicos.

Apesar dos registros, faltam estudos abrangentes sobre os medicamentos.

05:00 – Índia ultrapassa Itália em número de contágios

A Índia acusou um pico de novas infecções com o coronavírus pelo segundo dia consecutivo, com 9.887 novos casos em 24 horas, totalizando 236.657. Assim, o país ultrapassa a Itália, tornando-se o sexto mais atingido pela pandemia. As autoridades também registraram 294 mortes, num total de 6.642.

O novo acréscimo ocorre às vésperas de um alívio do confinamento, estando programada para a segunda-feira (08/06) a abertura de centros comerciais, restaurantes e locais de culto religioso.

04:30 – Mortos na África passam de 4.900

O número de mortos pela covid-19 nos 54 países da África subiu nas últimas 24 horas de 4.756 para 4.902 (+146), enquanto o de infectados foi de 169.836 para 176.807 (+6.971) para 4.902, segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

O número de doentes recuperados é de 78.267 – 3.535 a mais do que na véspera. A região do continente mais afetada pelo novo coronavírus continua a ser o Norte, com 2.161 mortos, e um total de 51.330.

04:00 – OMS revê recomendações sobre máscaras protetoras

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha agora a usar máscaras em estabelecimentos públicos cheios, como medida para proteção na pandemia de covid-19. Até então, a OMS só prescrevia a proteção de boca e nariz para quem cuidasse de enfermos, não recomendando seu uso em massa.

Leia a notícia completa

00:00 – Brasil passa 35 mil mortes

O Brasil registrou na sexta-feira 1.005 mortes em decorrência da covid-19, com o total ficando em 35.026, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Foram contabilizadas ainda 30.830 novas infecções. Com isso o Brasil tem 645.771 casos do novo coronavírus. O total de pacientes recuperados é de 254.963.

Pelo terceiro dia consecutivo, o Ministério da Saúde segurou a divulgação dos dados até às 22h. Já o site da pasta onde eram divulgados os números está fora do ar.

Resumo desta sexta-feira (05/06):

  • Mundo tem mais de 6,6 milhões de casos, mais de 391 mil mortes e 2,8 milhões de recuperados da covid-19
  • Brasil tem 614.941 casos confirmados, 34.021 mortes e 254.963 pacientes recuperados
  • Índia tem recorde de novos casos de covid-19
  • Bélgica tem 140 novos casos em um dia
  • Lufthansa deixa de integrar índice Dax
  • Epidemia está controlada na França, anuncia conselho

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter