Aprovação de Bolsonaro cai, aponta Ibope | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 16.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Aprovação de Bolsonaro cai, aponta Ibope

Segundo instituto, 35% classificam governo como "ótimo" ou "bom". Em setembro eram 40%. Ainda assim, parcela é maior do que a registrada em dezembro de 2019, quando 29% aprovavam governo.

Brasilien Brasilia | Jair Bolsonaro, Präsident

Presidente viu sua aprovação erodir em 2019, mas recuperou terreno em 2020 após o pagamento do auxílio emergencial. Agora, números voltam a cair

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (16/12) aponta queda na popularidade do presidente Jair Bolsonaro. O governo dele foi classificado como "ótimo" ou "bom" por 35% da população. Em setembro, levantamento do instituto apontara 40% de aprovação.

À época, o auxílio emergencial de R$ 600 foi usado para explicar a recuperação da popularidade do presidente. No fim de setembro, o valor caiu para R$ 300 para boa parte dos beneficiários.

A pesquisa divulgada nesta quarta também aponta que cresceu a avaliação negativa do governo: 33% classificam o governo como "ruim" ou "péssimo", ante 29% em setembro. Outros 30% apontam o governo como "regular". Eram 29% em setembro. Nos dois levantamentos, 2% dos entrevistados não souberam responder.

Apesar da queda, a avaliação positiva de Bolsonaro ainda é superior à verificada em dezembro de 2019 pelo Ibope, quando 29% classificaram seu governo como "ótimo" ou "bom" e 38% apontaram como "ruim" ou "péssimo". Foi a pior aprovação para um início de primeiro mandato entre todos os presidentes eleitos desde 1994. Só Fernando Collor registrou uma aprovação menor.

A pesquisa Ibope desta quarta foi encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O levantamento foi feito entre os dias 5 e 8 de dezembro e ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa ainda abordou a expectativa da população em relação ao governo. Entre os entrevistados, 35% afirmaram acreditar que os próximos anos de mandato de Bolsonaro serão ótimos ou bons. Em setembro, 36% fizeram essa avaliação. Na pesquisa de hoje, outros 31% afirmaram que os próximos anos serão ruins ou péssimos, e 30% apontaram que serão regulares.

A pesquisa também perguntou sobre a maneira de governar de Bolsonaro. Entre os entrevistados, 46% aprovam, 49% desaprovam e 5% não sabem. Por fim, a pesquisa avaliou a percepção das ações do governo em várias áreas. Em todas, a desaprovação superou a aprovação: segurança pública (53% reprovam), combate à fome e pobreza (53%), educação (55%), saúde (60%), meio ambiente (59%), combate ao desemprego (62%), combate à inflação (63%), impostos (70%) e taxa de juros (70%).

JPS/ots