″Após a presidência, Trump fará o que sempre quis: entretenimento″ | Notícias internacionais e análises | DW | 14.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Estados Unidos

"Após a presidência, Trump fará o que sempre quis: entretenimento"

Em entrevista à DW, biógrafo Michael D'Angelo prevê que o bilionário vai continuar sua carreira de showman e abrir sua própria emissora de TV após deixar a Casa Branca.

Homem assiste Trump na TV

Entretenimento televisivo é o que Trump mais gosta mais de fazer, segundo biógrafo

O biógrafo americano e jornalista ganhador do Prêmio Pulitzer Michael D'Antonio passou um tempo significativo com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enquanto escrevia dois livros sobre ele. Seu trabalho mais recente, High crimes: The corruption, impunity, and impeachment of Donald Trump (Graves crimes: a corrupção, impunidade e impeachment de Donald Trump, em tradução livre), uma crônica do impeachment do presidente, foi lançado em outubro de 2020.

D'Antonio conversou com a DW sobre o que espera de Trump quando sua presidência chegar ao fim, em 20 de janeiro de 2021. O escritor acredita que após deixar a Casa Branca o bilionário vai continuar se dedicando ao que mais gosta: divertir as pessoas.

"Quando você o vê na turnê de campanha e a forma como ele fica animado e energizado com sua performance, fica bem óbvio o que ele deseja fazer", prevê, acrescentando ser até possível que Trump se desfaça de sua cadeia de hotéis e clubes de golfe, abandonando o ramo imobiliário.

O novo projeto, segundo D'Antonio, será criar uma nova emissora de TV, que já era o objetivo quando ele concorreu pela primeira vez à presidência. "Sua campanha original não pretendia levá-lo ao Salão Oval. A campanha, no início, era para criar a rede de TV", ressalta o jornalista.

O novo empreendimento, imagina o jornalista, empregaria todo o clã Trump. "Acho que toda sua família vê um futuro no entretenimento político, e é isso que eles vão fazer", diz. "Serão como a Fox News, só que dispensarão a parte das notícias."

DW: O que está reservado para Donald Trump quando ele deixar a Casa Branca?

Michael D'Antonio: Parece bastante claro que desde jovem, e isso remonta ao início dos anos 1960, Donald Trump estava mais interessado em ser um showman do que qualquer outra coisa.

Então, sim, ele construiu algumas torres e possui campos de golfe. Mas a maior parte de sua renda desde o ano 2000 vem do entretenimento televisivo. Quando você o vê na turnê de campanha e a forma como ele fica animado e energizado com sua performance, fica bem óbvio o que ele deseja fazer.

Michael D'Antonio

Michael D'Antonio escreveu dois livros sobre Donald Trump

Acredito que ele venha a aparecer na televisão constantemente. Ele provavelmente será coproprietário ou proprietário único de algum tipo de emissora de televisão. Acho que uma boa maneira de imaginar como isso funcionaria é considerar que ele teve 70 milhões de pessoas votando nele. Mesmo que isso represente 30 milhões de famílias, se cada uma assinar o canal por um dólar ao mês, você terá uma boa ideia da receita que poderia obter criando uma emissora dessas.

E ela poderia empregar todos os seus filhos. Pode ser que empregue metade das pessoas em seu gabinete. Eu disse a alguém que achava que Don Jr. faria um programa chamado Talking about my dad (risos). Mas eu realmente acho que vamos ver isso. Ivanka [filha de Trump] poderia ter um programa chamado Lovely like me. As possibilidades são infinitas. A melhor maneira de imaginar isso é pensar sobre o conceito mais ridículo, e então você, mesmo assim, pode não ter ido longe o bastante para prever qual seria o produto desse esforço.

Eu ficaria completamente chocado se ele não estiver envolvido nesse tipo de empresa de mídia em 21 de janeiro.

E quanto à marca Trump já existente? Seus hotéis, campos de golfe etc.?

O que é interessante pensar é que os negócios com imóveis e hotéis podem encolher para a família Trump. São negócios muito difíceis. A marca foi danificada no segmento de luxo, e eles não têm propriedades no segmento inferior do mercado. Então, eu poderia imaginá-los vendendo tudo o que ainda possuem.

Trump poderia aceitar o fracasso de sua marca de hotel?

Acho que ele poderia encontrar uma maneira de explicar isso. "Aquelas pessoas terríveis arruinaram a mim e a tudo que eu tentei fazer por essas comunidades. Eu ajudei a reerguer a cidade de Nova York. Eu ajudei a revitalizar Washington." Ele vai querer receber o crédito por tudo, exceto pelo nascer do sol, e então vai dizer: "Fui tratado de forma terrível."

É uma fantasia, mas tem ressonância emocional com seus apoiadores, que pensam da mesma forma. Não acho, por exemplo, que ele se preocupará muito com uma biblioteca presidencial.

O que entraria numa biblioteca presidencial de Trump?

Essa é uma questão realmente interessante, porque tais museus tendem a se tornar centros de pesquisa, e os conselhos que os administram no fim procuram fazer com que eles sejam centros de investigação séria. Então, posso ver um lugar desses evoluindo para um centro de pesquisa dedicado a presidências fracassadas. E ao flerte dos EUA com o autoritarismo.

Talvez não imediatamente, mas depois que ele se for. A Biblioteca de Nixon se envolveu em polêmica e então trouxeram alguns historiadores reais que a colocaram no caminho certo para que a presidência de Nixon fosse apresentada de uma forma realista e os pesquisadores pudessem mergulhar em artigos que refletiam bem sobre Nixon e aqueles que refletiam mal sobre ele.

Só não sei o que seria colocado em um museu ou biblioteca dedicado a Donald Trump.

Donald Trump

Trump em 2015, durante promoção da sua série de TV "O aprendiz"

Que risco as ações judiciais e investigações criminais representam para Trump?

Ele tem sido um Houdini legal durante toda a sua vida. Foi capaz de se livrar de processos judiciais e pagar o mínimo possível para liquidar a questão quando o governo o pegou.

E suas finanças são tão misteriosas que é difícil determinar o que é importante para ele e o que não é. Ele luta por quantias surpreendentemente pequenas de dinheiro, considerando que ele diz valer 10 bilhões de dólares. Mas eu já soube de situações em que ele fez tudo o que podia para arrancar 50 mil dólares de um negócio de 100 milhões. A maioria das pessoas nesse nível não estaria focada em "como faço para obter 50 mil extras do vendedor para que possa me sentir ainda melhor sobre o negócio que fiz?". Mas é possível que ele realmente precisasse do dinheiro; que suas alegações de possuir uma grande riqueza eram tão falsas, que ele estava lutando por cada centavo.

Portanto, acho que é possível que, especialmente os problemas tributários, os problemas tributários federais e as questões no estado de Nova York, possam causar um grande dano aos seus ativos imobiliários e às suas empresas.

Mas não acho que ele esteja mais interessado nisso. Acho que toda sua família vê um futuro no entretenimento político, e é isso que eles vão fazer. Então, eles serão como a [emissora conservadora] Fox News, só que dispensarão a parte das notícias, e serão apenas personalidades. Serão apenas Trumps e pessoas como Trump.

Trump vai querer uma revanche contra Joe Biden na eleição presidencial de 2024?

Acho que ele pode decidir que tem mais poder fora de Washington do que voltando para lá. Seu ego pode levá-lo a pensar nisso, mas não acho que ele vá fazê-lo.

Ele pode ser mais feliz em um estúdio e fazendo aparições públicas e construindo essa rede que pode sobreviver a ele e dar posições de grande influência e presença a seus filhos.

Sua campanha original não pretendia levá-lo ao Salão Oval. A campanha, no início, era para criar a rede de TV. E então ele finalmente conseguirá o que queria, na verdade, em 21 de janeiro.

Trump construiu muito de sua personalidade em torno de ser um "vencedor". O que acontece agora que ele perdeu?

Não acho que isso o diminua em nada com sua base. Na verdade, acho que isso afirma para essas pessoas que o mal no mundo é grande, e que os poderes constituídos vão enganar e roubar, até mesmo a presidência dos Estados Unidos.

Quase sinto que toda a dinâmica da teoria da conspiração depende de as pessoas sentirem dor. Porque se você está feliz, você não precisa de uma teoria da conspiração para explicar sua situação. E se ele está infeliz porque foi enganado, isso significa apenas que a teoria da conspiração é realmente verdadeira e que a luta contra ela deve continuar.

Leia mais