Após 50 anos, submarino francês é encontrado no Mediterrâneo | Notícias internacionais e análises | DW | 22.07.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Após 50 anos, submarino francês é encontrado no Mediterrâneo

Em 1968, embarcação com 52 tripulantes desapareceu durante treinamento na costa da França. Destroços foram localizados pelo mesmo navio que localizou submarino argentino que naufragou no Atlântico.

Submarino Minerve

O submarino, movido a diesel, foi localizado a 2.400 metros de profundidade e a 45 quilômetros de Toulon

A Marinha francesa anunciou nesta segunda-feira (22/07) a descoberta do submarino Minerve, que desapareceu na costa de Toulon, no sudeste da França em janeiro de 1968 com 52 tripulantes. A nova operação de busca pela embarcação foi lançada em 2018 pelo governo francês depois de apelos dos familiares das vítimas, que esperavam há 51 anos por respostas sobre o desastre naval.

"Acabamos de encontrar o Minerve. A operação foi um sucesso, um momento de alívio e demonstração de proeza técnica", anunciou a ministra da Defesa francesa, Florence Parly.

A ministra, que disse unir-se à "emoção" das famílias pela notícia, manifestou ainda sua esperança de que isto lhes ajude em seu luto. Além disso, anunciou que será organizada uma cerimônia de homenagem no mar em memória dos 52 militares falecidos.

O submarino, movido a diesel, foi localizado a 2.400 metros de profundidade e a 45 quilômetros de Toulon. Recentes avanços tecnológicos em exploração submarina, em particular com a utilização de novos sonares e drones, foram fundamentais para encontrá-lo.

"É um alívio extremamente emocional", afirmou o filho do capitão do Minerve, Herve Fauve. "De alguma forma, esses 52 marinheiros haviam sido abandonados", acrescentou.

O Minerve afundou em 27 de janeiro de 1968, em apenas quatro minutos, por razões que permanecem desconhecidas. Apesar das operações de socorro imediatamente realizadas, os destroços nunca tinham sido localizados.

Em outubro do passado, familiares dos tripulantes do Minerve pediram a retomada das buscas. Desde o anúncio da operação no início deste ano, especialistas trabalharam para redefinir a área onde era mais provável que os destroços estivessem localizados. Informações sobre marés e correntes do Mediterrâneo, assim como dados sísmicos da época foram utilizados nesse processo.

Como parte dessa operação, na terça-feira passada o navio americano Seabed Construtor, que finalmente encontrou o submarino, foi integrado nas buscas.

O Seabed Construtor, propriedade da empresa americana Ocean Infinity, foi o mesmo que permitiu localizar em novembro do ano passado o submarino argentino ARA San Juan, que afundou no Atlântico com seus 44 tripulantes em 15 de novembro de 2017.

O Minerve fazia um treinamento em tempo ruim quando afundou no momento em que retornava para a base em Toulon. Muitas possíveis causas foram mencionadas para explicar o acidente, como uma avaria, uma colisão com um barco, a explosão de um míssil, um torpedo ou um acidente do tubo de ventilação.

Além do Minerve, outros três submarinos desaparecerem em 1968. O americano Scorpion afundou no Atlântico e o soviético K-129 sumiu no norte do Oceano Pacífico, sendo encontrado pelos Estados Unidos numa operação secreta em 1974. O ano também foi marcado pelo desaparecimento do Dakar, uma embarcação israelense que fazia sua viagem inaugural com 69 pessoas a bordo e que só foi encontrada em 1999 em Creta, na Grécia.

CN/efe/lusa/afp/rtr

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais