+Ao vivo: Fracassa tentativa de Merkel de fechar aliança + | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 19.11.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

+Ao vivo: Fracassa tentativa de Merkel de fechar aliança +

Chefe do Partido Liberal Democrático afirmou que não foi possível fechar acordo com partido da chanceler e verdes para a formação de novo governo.

+  Ao vivo: Fracassa tentativa de Merkel de fechar aliança +

Após semanas de conversas prévias, conservadores, liberais e verdes não conseguem superar divergências, e chanceler federal alemã fica sem acordo para abrir caminho para formação de governo. Novas eleições podem ser convocadas.

O chefe do Partido Liberal Democrático (FDP, na sigla em alemão), Christian Lindner, anunciou na noite deste domingo (19/11) que não foi possível, após semanas de conversas prévias, chegar a um acordo com o partido da chanceler federal alemã,  Angela Merkel, e os verdes para dar início a negociações formais para montar o próximo gabinete de governo. Lindner anunciou que sua sigla decidiu se retirar da mesa de negociação. 

Merkel estava tentando fechar uma aliança improvável de sua legenda, a União Democrata Cristã (CDU), e do seu partido-irmão na Baviera, a União Social Cristã (CSU), com o Partido Liberal Democrático (FDP) e o Partido Verde para abrir caminho para o seu quarto mandato.

Tal coalizão, nunca testada a nível nacional, seria a saída para Merkel depois de o Partido Social-Democrata (SPD) ter anunciado que não continuaria apoiando a chanceler federal e voltaria à oposição. A decisão veio após as eleições de 24 de setembro, que deram vitória à CDU.

Diante de tal insucesso nas semanas de sondagens entre os partidos, a Alemanha pode estar diante, pela primeira vez, da necessidade de convocar uma rodada extra de eleições.

___________

As atualizações estão no horário de Brasília (para atualizar, pressione CTRL + F5)

22h45  –  A chanceler federal Angela Merkel lamentou o colapso das negociações. Ela disse que a CDU/CSU acreditava que estavam "o ritmo das conversas indicavam que seria possível chegar a um acordo".


Ela também enfatizou que, como chanceler, "fará de tudo para garantir que o país se saia bem durante este momento difícil".
 

22h00  – Com a decisão dos liberais de abandonar as negociações para a formação do novo governo, o futuro do quarto mandato da chanceler Angela Merkel se complica. Uma opção diante do fracasso das negociações seria voltar as atenções para o Partido Social-Democrata (SPD), que governou ao lado de Merkel nos últimos quatro anos. Mas a sigla já avisou que não quer mais participar de nenhuma coalizão com a chanceler e deseja passar para a oposição.. 


Caso o SPD permaneça irredutível, o que é bastante provável, vão restar a Merkel apenas as opções de formar um governo de minoria com o Partido Verde ou, em uma situação extrema, pedir a dissolução do Parlamento e a convocação de novas eleições – algo inédito desde o fim da Segunda Guerra Mundial. 

21h50  – A decisão do liberal Lindner de suspender as negociações foi criticada pelo deputado do Partido Verde Reinhard Bütikofer. Em mensagem no Twitter ele disse que o chefe do Partido Liberal escolheu "sua própria forma agitação populista em detrimento da responsabilidade política".

 

21h36  – Os partidos haviam se mostrado divididos desde o início das conversas. Havia discordância sobretudo em relação à fixação de um teto para limitar a entrada de refugiados no país, questão que fez com que a chanceler federal perdesse apoio nas últimas eleições.


Muito da campanha eleitoral foi centrado na política de "portas abertas" de Merkel, que, desde 2015, permitiu a entrada de mais de um milhão de refugiados na Alemanha.


A CDU e CSU desejavam limitar em 200 mil anuais o número de pessoas que poderiam entrar na Alemanha por questões humanitárias. Os verdes, porém, rejeitavam esse teto.
 

21h18 – "Nós não culpamos ninguém por se manter fiel aos seus princípios. Mas nós também fizemos o mesmo. Nós defendemos reverter as tendências atuais, mas não conseguimos chegar a um acordo", disse o chefe doPartido Liberal Democrático, Christian Lindner.

21h15 – O chefe do Partido Liberal Democrático alemão, Christian Lindner, afirmou que “é melhor não governar do que governar mal” logo após anunciar que seu partido estava se retirando das negociações para a formação de um novo governo.

21h00 – Esta domingo (19/11) era um dia decisivo para a política alemã, pois era a data fixada como limite pela chanceler federal Angela Merkel para que seu partido, os liberais e os verdes, após semanas de sondagens, decidissem se realmente entrariam em negociações formais para montar o próximo gabinete de governo. A tentativa, no entanto, não vingou.

___________