Antifascistas abafam passeata contra Merkel em Berlim | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 04.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Protesto

Antifascistas abafam passeata contra Merkel em Berlim

A partir da central ferroviária da capital, grupo Berlim contra Nazistas e partido A Esquerda organizaram evento de oposição a radicais de direita reunidos sob o slogan "Merkel tem que ir", contra a chanceler federal.

Refugiados bem-vindos foi uma das mensagens dos manifestantes de esquerda

"Refugiados bem-vindos" foi uma das mensagens dos manifestantes de esquerda

Cerca de mil manifestantes se reuniram neste sábado (04/03) em Berlim para se contrapor a uma passeata do grupo de extrema direita Hooligans contra Salafistas (Hogesa) pelo centro da capital, a partir da estação ferroviária central.

Os contraprotestos antifascistas foram organizados pelo movimento Berlim contra Nazistas e o partido A Esquerda. A certa altura, os manifestantes realizaram uma "competição de barulho", com megafones e canções políticas em alto volume, para abafar os neonazistas reunidos sob o slogan "Merkel tem que ir", em oposição à atual chanceler federal democrata-cristã.

Os cartazes adversários traziam mensagens como "Sem marcha nazista em Berlim", "Refugiados bem-vindos" e "Não à AfD", numa alusão ao partido populista de direta Alternativa para a Alemanha.

A AfD, que defende uma plataforma anti-imigração, vivenciou um aumento de apoio popular, antecipando as eleições gerais marcadas para setembro deste ano, embora esteja aparentemente perdendo força nas sondagens mais recentes. Um de seus alvos principais é o islamismo, o qual, segundo os populistas de direita, não teria lugar na sociedade alemã.

Nos últimos anos têm se acumulado as manifestações radicais de direita na Alemanha, em parte exacerbadas pela política de Merkel de fronteiras abertas para os refugiados. Cerca de 1 milhão de migrantes chegaram ao país desde 2015, grande parte deles tentando escapar dos conflitos e da pobreza extrema no Oriente Médio, Ásia e África.

AV/epd/dpa

Leia mais