Alemanha terá primeiro petacomputador da Europa | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 25.02.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha terá primeiro petacomputador da Europa

O Centro de Pesquisas de Jülich está montando o primeiro petacomputador da Europa, capaz de executar um quatrilhão de operações por segundo. Máquina ficará pronta até fim de maio e sua potência equivale à de 50 mil PCs.

default

Thomas Lippert, diretor do centro de Jülich, à frente do modelo anterior, o Jugene

No Centro de Pesquisas de Jülich, no oeste da Alemanha, está sendo montado um computador único na Europa. A supermáquina será equivalente a 50 mil PCs e capaz de executar mais de um quatrilhão de operações por segundo. Considerado uma expansão do modelo Jugene, também criado pelo centro, o petacomputador supera seu antecessor, desenvolvido em 2007, em até seis vezes.

Ainda em fase final de montagem, a nova máquina conta com 72 mil processadores com quatro núcleos cada um. Na prática, isso significa que o computador terá a potência de 280 mil processadores e poderá realizar, em apenas um mês, trabalhos que antes levariam cinco meses.

Para evitar o superaquecimento dos processadores, o centro desenvolveu um enorme sistema de refrigeração através de canais de água.

Segundo o diretor do centro, Thomas Lippert, o petacomputador será de grande utilidade para ramos científicos como a nanotecnologia e a nanoeletrônica, assim como para pesquisas nas áreas de biologia e engenharia.

Também pesquisadores da física de partículas e astrônomos poderão usufruir da tecnologia. "É possível simular, entre outras coisas, como as galáxias se desenvolveram através da Radiação Cósmica de Fundo em Microondas (RCFM)", explica Lippert.

Consumo de energia é um desafio

Para realizar operações tão rápidas, o petacomputador consumirá, também, muita energia. Lippert não nega que esse é ainda um desafio para o projeto. Quando entrar em funcionamento, o computador terá um consumo anual aproximado de 2 milhões de euros.

“Levando em conta seu desempenho, esses custos são mínimos. Mas Jülich tem como meta desenvolver sistemas que economizem ao máximo sem desperdiçar energia. No futuro, teremos que reduzir o consumo de energia dos processadores.”

Antes mesmo de começar a fase de testes, o petacomputador já está sendo esperado por muitos cientistas. “Temos uma lista de projetos que gostaríamos de aprovar que supera em até dez vezes a nossa capacidade”, disse o diretor.

No final de março, o petacomputador estará montado e entrará em fase de testes. Se tudo correr como programado, a supermáquina estará em funcionamento já no final de maio. Um nome, no entanto, ela ainda não tem. "Só sabemos que começará com 'Ju'", garante Lippert.

Leia mais