Alemanha se aproxima do estado de emergência contra o coronavírus | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 20.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Alemanha se aproxima do estado de emergência contra o coronavírus

Os líderes estaduais e federais alemães ainda vão decidir se será decretado toque de recolher generalizado para conter o alastramento da covid-19. No entanto alguns estados já adotaram medidas rigorosas e preveem penas.

Deutschland Tourismus in Zeiten der Corona-Krise | Brandenburger Tor (picture-alliance/dpa/K. Nietfeld)

O Portão de Brandemburgo, em Berlim. Ponto turístico ficou esvaziado desde a intensificação da pandemia

Diversos estados alemães estão impondo medidas drásticas de isolamento para conter o alastramento do novo coronavírus. O governo federal não chegou a declarar estado de emergência, embora a chanceler federal Angela Merkel tenha advertido os cidadãos para ficarem em casa.

Baviera

A Baviera anunciou "restrições fundamentais à vida pública para combater o surto de covid-19". A partir desta sexta-feira (20/03), os cidadãos só têm permissão de deixar suas casas em caso de necessidade, como a ida ao médico ou compras de mercado e remédios. Inicialmente as imposições valem por duas semanas.

O maior estado alemão é o primeiro a decretar restrições de circulação na crise do coronavírus. Seu governador, Markus Söder, lamentou o fato de alguns cidadãos ainda estarem se reunindo socialmente: "Não podemos mais aceitar isso, temos que tentar quebrar a onda dos contágios erráticos."

Os bávaros têm permissão para ir ao trabalho, porém Söder apelou aos empregadores para deixarem seus funcionários trabalharem de casa, se possível. Esportes ao ar livre e caminhadas também são permitidos. O secretário do Interior Joachim Herrmann anunciou multas de até 25 mil euros em caso de infração das proibições.

Coronavirus in München - menschenleerer Marienplatz (Imago Images/Zuma/S. Babbar)

A cidade de Munique. Baviera decretou estado de emergência

Sarre

O pequeno estado do Sarre, que faz fronteira com a França e Luxemburgo, planeja um toque de recolher geral. Seu governador, Tobias Hans, explicou que a proibição de circular não será absoluta, sendo permitidas caminhadas, mesmo em pequenos grupos familiares, "mantendo-se a distância entre si".

O governo mandou também fechar todos os restaurantes, só sendo possível a venda de comida para levar. Hans explicou que preferiria ver uma abordagem uniforme em todo o país, mas devido à proximidade da região francesa de Grande Leste, fortemente contaminada, foi necessária ação unilateral imediata.

Baden-Württemberg

O estado de Baden-Württemberg, no Sul do país, com fronteiras com a França e a Suíça, proibiu reuniões de mais de três pessoas em locais públicos, e os restaurantes serão fechados a partir deste sábado.

Assistir ao vídeo 02:29

O apelo inédito de Merkel devido ao coronavírus

Segundo o governador Winfried Kretschmann, o tráfego de fronteira com áreas de risco do coronavírus será severamente controlado. Quem trabalha nos países vizinhos poderá atravessar a fronteira para esse fim, mas ficam vedadas as compras internacionais.

O político advertiu que muitos deixam de obedecer os regulamentos, e que para desacelerar o avanço dos contágios com o coronavírus, cada dia conta. Os infratores estarão sujeitos a multas de até 25 mil euros e penas de prisão de vários anos.

Hessen

O estado central de Hessen, onde se localiza Frankfurt, capital financeira da Alemanha, anunciou o fechamento de todos os restaurantes e bares a partir do meio-dia do sábado. Além disso, só serão permitidas reuniões públicas de no máximo cinco pessoas – o limite anterior era de 100.

Ao anunciar as medidas, o governador Volker Bouffier explicou que a resolução sobre um toque de recolher total seria adiada até o encontro entre os governos federal e estaduais, neste domingo, por ser "uma das últimas medidas que se pode tomar".

Comentando as resoluções mais rigorosas na Baviera e no Sarre, ele lembrou que esses estados estão sob pressão especial devido a sua posição fronteiriça, "o que não é o nosso caso".

Renânia-Palatinado

O estado de Renânia-Palatinado, vizinho do Sarre, baniu reuniões públicas de mais de cinco participantes. A partir da meia-noite da sexta-feira, os restaurantes também fecharão, mas será possível venda de comida no balcão ou a domicílio.

Não há um toque de recolher passível de punição, como na Baviera ou Sarre, mas quem se reunir em números superiores ao permitido pode ser multado. A governadora Malu Dreyer disse considerar "infeliz o fato de os dois estados terem se apressado".

Ela acrescentou que a implementação dos regulamentos em seu estado será monitorada de perto durante a semana, o que determinará se serão impostas novas condições.

Baixa Saxônia

A Baixa Saxônia, no Norte alemão, fechará todos os restaurantes e cafés a partir da noite do sábado. O governador Stephan Weil declarou que a medida se fez necessária por as indicações anteriores, como a de manter a distância interpressoal, terem sido ignoradas por cidadãos demais, e desde a quinta-feira se fez necessária ação policial em larga escala, a fim de impor o cumprimento.

Ele não planeja um toque de recolher unilateral, já que aparentemente as medidas abrangentes estão surtindo efeito. O número de contágios vem crescendo de 25 a 30% diariamente, mas não dobrando, como se temia, portanto "um efeito é claramente visível", disse Weil.

Hamburgo

O governador Peter Tschentscher, de Hamburgo, também no Norte, anunciou o fechamento de todos os restaurantes, ficando ainda possível a venda de refeições para levar e entregas a domicílio.

Estão interditadas as reuniões de mais de seis indivíduos, abrindo-se exceções para famílias e grupos de trabalho. Segundo Tschentscher, o fenômeno das "festinhas de corona" ainda não é um problema em seu estado, mas a polícia dispõe dos meios necessários para atuar contra tais eventos.

_____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais