Alemanha quer liderança no mercado de carros elétricos | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 19.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha quer liderança no mercado de carros elétricos

Plano do governo alemão prevê o lançamento de um milhão de carros nos próximos 10 anos. Ecologistas e especialistas criticam a ideia.

default

Alemanha tem atualmente cerca de mil carros movidos a eletricidade

A Alemanha quer assumir a liderança mundial no mercado de carros elétricos. O governo da chanceler Angela Merkel anunciou nesta quarta-feira (19/08) o chamado Plano Nacional de Desenvolvimento Eletromobilidade.

O objetivo é levar até o ano de 2020 pelo menos um milhão de carros elétricos às ruas alemãs. Hoje, 41 milhões de veículos circulam no país, apenas mil deles são movidos a eletricidade. "Nossa meta é tornar a Alemanha o mercado líder da mobilidade elétrica", afirmou o ministro alemão da Economia, Karl-Theodor zu Guttenberg.

Entre as iniciativas a serem postas em prática nos próximos dez anos, estão o fomento à pesquisa e ao desenvolvimento de novas baterias, à melhor cooperação entre os setores envolvidos, a ampliação da infra-estrutura para veículos elétricos e o aceleramento da produção e do lançamento dos automóveis.

O projeto seria parcialmente financiado com uma verba de 500 milhões de euros contida no segundo plano de estímulo econômico, anunciado pelo governo alemão no início do ano. A compra dos primeiros 100 mil automóveis movidos a energia elétrica poderia ser subvencionada através de um bônus em dinheiro, conforme sugeriu o ministério do Meio Ambiente. Essa alternativa, entretanto, foi deixada em aberto. “Esta é uma tarefa que deverá ser resolvida pelo próximo governo, observou Guttenberg.

Flash - Galerie sparsame Autos contra Spritschleudern

Ministro alemão do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, é um dos idealizadores pelo plano

O ministro afirmou que o governo espera que os fabricantes de veículos alemães lancem os primeiros carros elétricos no mercado já em 2011. A compra dos primeiros 100 mil veículos deverá ser fomentada a partir de 2011 ou de 2012.

Enquanto a Federação da Indústria Automotiva Alemã (VDA, na sigla em alemão) saúda a iniciativa, especialistas e militantes do meio ambiente acusaram o plano de ser vago e inconsistente.

"O desenvolvimento com sucesso da mobilidade elétrica é de grande importância para a Alemanha como um país inovador", afirmou o presidente da VDA, Matthias Wissmann.

"Conto de fadas tecnológico"

Ecologistas criticaram o novo plano. De acordo com um representante da Federação de Proteção a Natureza, os carros a eletricidade não são uma garantia de que a energia utilizada virá de fontes ambientalmente limpas. O Greenpeace tachou a iniciativa de "conto de fadas tecnológico", argumentando que os automóveis elétricos não poderiam dar "nenhuma colaboração considerável para a proteção climática nos próximos 10 a 20 anos".

Analistas acreditam que carros elétricos só poderão ser produzidos em série daqui a muitos anos. Entre os problemas citados estão o desenvolvimento de baterias potentes, assim como o preço do veículo.

Um carro elétrico custa 15 mil euros a mais do que um movido a gasolina, afirmou em entrevista à Reuters Willi Diez, diretor do Instituto para Economia do Automóvel em Nürtingen. Ele acha que o plano desperta falsas esperanças.

Segundo uma sondagem, um em cada cinco alemães deseja adiar a compra de um novo carro para aguardar o dia em que poderá adquirir um veículo elétrico. "No momento, estão fomentando esperanças irreais", acusa.

Na opinião de Diez, os motores movidos a eletricidade não apresentam um desempenho ecológico muito melhor do que os novos modelos a gasolina ou diesel, quando são levados em consideração fatores como a produção e a mistura das fontes energéticas.

MD/dw/rtrs/afp/ap

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais