1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Olaf Scholz
Scholz chega para participar de negociações para a nova coalizão de governo em BerlimFoto: Christophe Gateau/dpa/picture alliance

Alemanha poderá ter novo governo já no início de dezembro

21 de outubro de 2021

Social-democratas, verdes e liberais estabelecem cronograma que poderá consolidar nova coalizão governista em prazo menor do que o esperado. Olaf Scholz está cada vez mais perto de se tornar o sucessor de Angela Merkel.

https://www.dw.com/pt-br/alemanha-poder%C3%A1-ter-novo-governo-j%C3%A1-no-in%C3%ADcio-de-dezembro/a-59582352?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

Os três partidos que negociam a formação de uma nova coalizão de governo na Alemanha – o Partido Social-Democrata (SPD), o Partido Verde e o Partido Liberal Democrático (FDP) – afirmaram nesta quinta-feira (21/10), logo após o início das conversações, que a nova administração, a ser liderada pelo social-democrata Olaf Scholz, poderá assumir o poder já em dezembro.

O secretário-geral do FDP, Volker Wissing, e seu colega do SPD, Lars Klingbeil, disseram que a transição de poder poderá ocorrer na segunda semana de dezembro, segundo o cronograma divulgado nesta quinta, primeiro dia das negociações entre as três agremiações em Berlim.

Wissing disse que o acordo para a formação da coalizão deverá ser concluído no final de novembro, permitindo que Scholz seja eleito no Bundestag (Parlamento) e possa dar início ao novo governo na semana que se inicia no dia 6 de dezembro.

O prazo, se confirmado, permitirá a conclusão do processo de transição em tempo menor do que previam os analistas. Muitos acreditavam que as negociações iriam se estender pelo menos até o Natal.

Cronograma "ambicioso"

Na sexta-feira passada, as três forças políticas lançaram as bases para uma futura aliança ao apresentarem um pré-acordo governamental de 12 páginas em que resumem os pontos em comum e as reformas que pretendem realizar nos próximos quatro anos. Entre os compromissos estão o não aumento de impostos, o adiantamento da meta de fim de uso do carvão de 2038 para 2030 e o aumento do salário mínimo para 12 euros por hora.

Durante as negociações preliminares, os três partidos firmaram um roteiro para o futuro acordo de coalizão, que inclui concessões e ajustes que serão agora aprofundados na elaboração de um programa de governo conjunto.

Klingbeil disse que os 22 grupos de trabalho iniciarão suas atividades na próxima quarta-feira e devem apresentar posicionamentos conjuntos até 10 de novembro.  Após essa fase, os principais dirigentes das três partes vão então assumir as negociações para finalizar o documento com o objetivo de chegar a um acordo no fim de novembro.  

Wissing afirmou que as conversações iniciais antes das negociações formais foram animadoras e considerou o cronograma ambicioso.

Sem repetição da grande coalizão

O SPD se tornou a maior força no Bundestag após as eleições de setembro, mas o resultado pulverizado faz com que uma coalizão tripartidária seja necessária para garantir a maioria.

Nas eleições gerais, o SPD recebeu 25,7% dos votos. O Partido Verde obteve o melhor resultado da sua história, com 14,8%, e os liberais alcançaram 11,5%.

Outra alternativa para garantir maioria no Bundestag seria a repetição da chamada grande coalizão, entre o SPD e a União Democrata Cristã (CDU), da chanceler federal Angela Merkel, opção rejeitada por ambas as legendas.

rc/as (DPA, Reuters, Lusa)