Alemanha pagará auxílio na pandemia a sobreviventes do Holocausto | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Holocausto

Alemanha pagará auxílio na pandemia a sobreviventes do Holocausto

Organização que defende interesses de vítimas judias do nazismo obtém fundo extra de 560 milhões de euros para ajudar sobreviventes mais pobres, sobretudo na ex-União Soviética.

A Alemanha concordou em pagar mais de 560 milhões de euros (cerca de R$ 3,7 bilhões) adicionais como auxílio emergencial a vítimas do Holocausto durante a pandemia de covid-19. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (14/10) pela Conference on Jewish Material Claims Against Germany, que defende os interesses dos sobreviventes do genocídio nazista junto ao governo alemão.

A ajuda se destina às vítimas mais pobres, que receberão dois pagamentos de 1.200 euros nos próximos dois anos, a partir de 1º de dezembro. A Claims Conference calcula que estão qualificados para as compensações cerca de 240 mil sobreviventes, a maioria residentes em Israel, América do Norte, antiga União Soviética e Europa Ocidental.

"Precisamos responder aos desafios das necessidades crescentes dos sobreviventes que vão envelhecendo, associadas às necessidades novas e urgentes causadas pela pandemia global", explicou Gideon Taylor, presidente da Claims Conference, em comunicado à imprensa. Segundo a organização, "uma população significativa de sobreviventes, sobretudo na ex-União Soviética", vive na pobreza.

Na rodada anual de negociações encerrada recentemente, Berlim já concordara em aumentar em 30,5 milhões de euros o financiamento de serviços sociais em 2021, até um total de 554 mihões de euros. Esse fundo fornece cuidados a domicílio, alimentos, medicamentos e transporte. O novo subsídio será um pagamento suplementar.

"Diante da devastadora pandemia global, era vital assegurar maiores aumentos para os sobreviventes, além de buscar fundos imediatos para ajudá-los a atravessar estes tempos extremamente duros", declarou o negociador especial da Claims Conference, Stuart E. Eizenstat.

Sediada em Nova York, a conferência encarregada de exigências materiais de judeus contra a Alemanha negocia desde 1952 compensações para as vítimas da política genocida do regime nazista, já tendo assegurando mais de 70 bilhões de dólares para 800 mil sobreviventes.

Leia mais