Alemanha cai quatro posições em ranking global de competitividade | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 09.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Economia

Alemanha cai quatro posições em ranking global de competitividade

Maior economia da UE deixa a desejar em quesitos como telefonia móvel e acesso a internet de banda larga e ocupa agora o sétimo lugar no índice dos países mais competitivos. Brasil sobe uma colocação e chega a 71º.

Pista de corrida

Cingapura toma o lugar dos EUA e lidera ranking do Fórum Econômico Mundial (FEM)

Mesmo sendo a principal economia da União Europeia (UE), a Alemanha deixa a desejar em termos de competitividade, segundo afirma a edição de 2019 do ranking global elaborado pelo Fórum Econômico Mundial (FEM) sobre o tema. A lista deste ano foi divulgada nesta quarta-feira (09/10).

Com 81,8 pontos, a Alemanha perdeu quatro posições no Índice Global de Competitividade, ocupando agora a sétima posição. Dos 103 indicadores utilizados no ranking, o país obteve avaliações negativas em 53 neste ano.

Apesar de ter ficado na primeira colocação em termos de capacidade de inovação e ter se saído bem em quesitos como estabilidade macroeconômica e infraestrutura, o desempenho alemão deixou a desejar em uma das áreas mais relevantes: internet e redes de telefonia móvel.

"A principal fraqueza da Alemanha é o nível relativamente baixo de adoção de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)", afirma o relatório do FEM. Em termos de tecnologia da informação (TI), os alemães ficam atrás dos países bálticos e nórdicos e de diversas nações do Golfo Pérsico, além de Rússia e China.

O documento afirma que o acesso a internet de banda larga de fibra ótica na Alemanha "permanece sendo privilégio de poucos".

O Brasil, por sua vez, subiu uma posição no ranking e ocupa agora a 71ª posição, com 60,9 pontos, ainda abaixo da média mundial. Alguns dos fatores para o melhor desempenho brasileiro foram a simplificação das regras para abrir e fechar empresas, a inflação sob controle e uma melhora na eficiência do mercado de trabalho.

No entanto, segundo o FEM, o país necessita de progressos mais significativos em áreas como estabilidade econômica, abertura comercial, segurança e estabilidade governamental.

Cingapura, com 84,8 pontos, tomou o primeiro lugar dos Estados Unidos (83,7) como a economia mais competitiva em todo o mundo, enquanto líderes do setor de negócios americano expressam preocupação com o fato de o país estar menos aberto ao comércio internacional.

O FEM avalia que Cingapura é a "economia mais aberta do mundo" e destaca a infraestrutura de alta qualidade e a forte cooperação entre a força de trabalho e a administração dos negócios.

No ranking, atrás de Cingapura e dos EUA, aparecem Hong Kong (83,1), Holanda (82,4), Suíça (82,4) e Japão (82,3). Depois da Alemanha, estão relacionados Suécia, Reino Unido e Dinamarca, todos com 81,2 pontos.

O Índice Global de Competitividade utiliza levantamentos e dados nacionais para medir uma variedade de áreas que incluem finanças, educação, saúde e infraestrutura. Em 2019, a média das 141 economias avaliadas foi de 61 pontos.

RC/dpa/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

Leia mais