Alemanha acusa Vietnã de sequestrar executivo em Berlim | Notícias internacionais e análises | DW | 04.08.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha acusa Vietnã de sequestrar executivo em Berlim

Cidadão vietnamita teria sido sequestrado na capital alemã e levado ao Vietnã com ajuda do serviço secreto do país. Governo alemão fala de ação intolerável e expulsa diplomata.

Trinh Xuan Tanh

Trinh Xuan Tanh é acusado de apropriação indevida por vender ações de empresa estatal por valor abaixo do mercado

O possível sequestro do executivo vietnamita do setor petrolífero Trinh Xuan Thanh em Berlim causou uma crise diplomática entre Alemanha e Vietnã. A polícia berlinense afirmou à DW que o cidadão vietnamita teria sido sequestrado na capital, mas se recusou a dar detalhes sobre a investigação.

Como retaliação, o governo alemão pediu nesta quarta-feira (02/08) a saída do país, em 48 horas, do diplomata vietnamita responsável pelos serviços secretos. O ministro alemão do Exterior, Sigmar Gabriel, acrescentou nesta sexta-feira (04/08) que novas medidas estão sendo avaliadas.

O ministro afirmou, ainda, que tudo parece indicar que uma pessoa que havia pedido asilo na Alemanha teria sido sequestrada e levada para o Vietnã com a ajuda do serviço secreto vietnamita, num caso digno de filmes sobre a Guerra Fria. "Em todo caso, ele foi levado para fora do país por meio de métodos que, em nossa opinião, só poderiam ser vistos em filmes sombrios sobre a Guerra Fria. E isso é algo que não podemos tolerar e não vamos admitir", disse.

Thanh, de 51 anos, era um executivo da empresa do setor petrolífero PetroVietnam Construction Joint Stock Corporation (PVC) e ocupou diversos cargos de liderança em empresas estatais quando tinha um assento no Parlamento. Segundo o serviço noticioso vietnamita Vietnamnet, ele é acusado de apropriação indevida por vender ações de uma empresa estatal a um valor abaixo do mercado e embolsar a diferença. Outros dez ex-funcionários da PVC também estão sendo acusados.

Segundo o jornal alemão TAZ, Thanh passou algum tempo na Alemanha no início da década de 1990 e encaminhou um requerimento de asilo, mas voltou ao Vietnã para começar sua carreira.

Violação da lei alemã

Na quarta-feira, um porta-voz do Ministério do Exterior da Alemanha afirmou que "o sequestro do cidadão vietnamita Trinh Xuan Thanh em solo alemão é uma violação sem precedentes e gritante da lei alemã e do direito internacional" e que o incidente pode influenciar negativamente as relações entre os dois países.

O governo alemão admitiu que o Vietnã pedira a extradição de Thanh durante a cúpula do G20 em Hamburgo. Agora, a Alemanha exige que o cidadão vietnamita seja devolvido ao país europeu para que ambos os pedidos, de extradição e de asilo, sejam processados na forma jurídica adequada.

No dia seguinte, o ministério do Exterior do Vietnã censurou as reivindicações dos colegas alemães. "Eu sinto muito sobre a declaração dada em 2 de agosto pelo porta-voz do Ministério alemão do Exterior", afirmou um porta-voz. "O Vietnã respeita muitíssimo [a Alemanha] e quer desenvolver uma relação estratégica entre os dois países."

Declaração na televisão

Em declaração ao jornal TAZ, a advogada de Thanh, Petra Schlagenhauf, afirmou que seu cliente foi levado à força, por volta das 10h40 de 23 de julho, quando estava numa rua próxima ao parque Tiergarten, localizado no centro da capital alemã. Mas a mídia do Vietnã, citando o Ministério da Segurança Pública do país, disse que Thanh se entregou de forma voluntária, em Hanói, a investigadores criminais que estavam em seu encalço desde abril.

Nesta quinta-feira, Thanh apareceu na televisão pública vietnamita e disse que não foi sequestrado e viajou voluntariamente ao Vietnã. "Depois de um ano fugindo, voltei para casa porque estava cansado", afirmou. "Minha família me incentivou para que eu me apresentasse e recebesse circunstâncias atenuantes para meus erros do passado." Não está claro se ele foi coagido a dar a declaração.

Sequestrado e pressionado?

Viet Tan, um partido pró-democracia vietnamita não autorizado, expressou surpresa com a ação ousada do Vietnã em solo alemão. "Sequestrar dissidentes é algo que a inteligência vietnamita provavelmente tentaria fazer no Sudeste Asiático", afirmou Duy Hoang, porta-voz da organização.

"É praticamente inédito isso acontecer no Ocidente. O governo alemão precisa condenar essa ação descarada com toda a veemência. O sequestro de Trinh Xuan Thanh ocorre em meio a uma severa repressão das autoridades comunistas vietnamitas", afirmou Hoang.

Apesar de a mídia vietnamita não ter mencionado o sequestro, Tran Quoc Thuan, um ex-membro da Assembleia Nacional, disse à BBC na terça-feira que ficou "surpreso" ao ouvir que Thanh havia retornado ao país. Ele também especulou que Thanh pode ter sido pressionado para voltar ao Vietnã e confessar, em vez de ter sido sequestrado. Mas acrescentou: "A possibilidade de sequestro é maior".

FC/dw/rtr/efe/afp/dpa

Leia mais