Alemão é autuado por usar spray de pimenta para forçar distanciamento | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 19.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Alemão é autuado por usar spray de pimenta para forçar distanciamento

Homem de 71 anos usou spray contra ciclistas e corredores em Aachen, alegando que tentava se proteger contra o coronavírus. Ele deve responder por lesão corporal e interferência perigosa no tráfego.

Mão segura spray de pimenta.

Casal de ciclistas conseguiu parar as biciletas e chamar a polícia.

A polícia da cidade alemã de Aachen, no estado da Renânia do Norte-Vestefália, informou nesta segunda-feira (19/10) que um homem de 71 anos foi autuado no fim de semana por recorrer a um método extremo de distanciamento em tempos de pandemia: o uso de spray de pimenta para manter as pessoas afastadas.

De acordo com a polícia, primeiro ele usou o spray contra um grupo de corredores. Em seguida, fez o mesmo com dois ciclistas, "que ficaram com os olhos completamente embaçados". O casal de ciclistas, um homem de 51 anos e uma mulher de 49 anos, conseguiu parar as bicicletas elétricas apesar dos olhos lacrimejando, sem provocar acidentes. Eles chamaram a polícia.  

Após conversar com o homem, a polícia disse que ele alegou que, de seu ponto de vista, a medida foi apenas uma maneira de manter uma distância segura das outras pessoas e se proteger do coronavírus. Ele responderá a um processo penal por lesão corporal e interferência perigosa no tráfego rodoviário. A polícia solicitou que os corredores, ainda não identificados, se apresentem como testemunhas. Nos dois casos, a polícia apontou que o homem não fez nenhuma advertência antes de usar o spray.

No total, a Alemanha registra 366.299 casos de covid-19 e 9.789 mortes associadas à doença, de acordo com dados do Instituto Robert Koch, agência responsável pelo controle e prevenção de doenças infecciosas.

O estado da Renânia do Norte-Vestefália, mais populoso do país, concentra o maior número de casos de covid-19 na Alemanha (90.544).

Nas últimas semanas, a Alemanha viu o número de contaminações crescer drasticamente, com seguidos recordes de casos diários.

No entanto, as autoridades alertam que os valores atuais não podem ser comparados com os do começo do ano, pois agora estão sendo realizados significativamente mais testes – e, portanto, mais infecções são descobertas.

Desde meados de agosto, o número de testes para detectar o coronavírus tem variado entre 1,1 milhão e 1,2 milhão por semana.

Na quarta-feira passada, a chanceler federal, Angela Merkel, chegou a um acordo com os governadores dos 16 estados alemães para introduzir medidas mais duras para tentar frear o número de infecções.

Pelas novas regras, se uma área registrar mais de 35 novas infecções por 100.000 habitantes em sete dias, as máscaras se tornam obrigatórias em todos os lugares onde pessoas têm contato próximo por um período prolongado – máscaras já são exigidas no transporte público e em lojas.

O número de pessoas autorizadas a se reunir também foi limitado a 25 em espaços públicos e 15 em espaços privados.

Uma vez que o limite de 50 novas infecções por 100.000 for excedido, restrições ainda mais severas serão aplicadas. Isso inclui limitar as reuniões privadas a dez pessoas ou a moradores de duas residências, além do fechamento de bares e restaurantes após as 23h.

LE/dpa/afp/ots


Leia mais