Alemão é acusado de espionar no Parlamento para a Rússia | Notícias internacionais e análises | DW | 25.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Alemão é acusado de espionar no Parlamento para a Rússia

Homem de 55 anos repassou plantas arquitetônicas do Bundestag a um suposto agente de serviço de inteligência russo, afirmam promotores. Rússia rejeita acusação de espionagem e fala em perseguição.

O prédio do Reichstag, em Berlim, onde fica o Parlamento alemão

O prédio do Reichstag, em Berlim, onde fica o Parlamento alemão

Um alemão suspeito de ter repassado à Rússia plantas arquitetônicas de prédios do Parlamento alemão (Bundestag) foi acusado de espionagem pelo Ministério Público da Alemanha, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira (25/02).

Segundo os promotores, entre julho e setembro de 2017, o suspeito decidiu por iniciativa própria transmitir informações sobre as propriedades do Bundestag aos serviços de inteligência russos.

Os documentos, em forma de arquivos PDF, foram gravados num CD e enviados a um funcionário da embaixada da Rússia que é suspeito de ser membro do serviço de inteligência militar russo, o GRU.

As informações repassadas não são sigilosas, mas, segundo especialistas, podem ser usadas, por exemplo, numa ação de sabotagem.

Os promotores destacaram que o acusado repassou as informações por iniciativa própria, sem ter sido aliciado pelo serviço secreto russo, e que não sabem por que ele fez isso. O suspeito não mantinha qualquer contato com a Rússia, disseram.

O acusado, de 55 anos, foi identificado apenas como Jens F. e trabalhava para uma empresa que havia sido várias vezes contratada para verificar a segurança de aparelhos elétricos no Bundestag. Com isso teve acesso a arquivos em formato PDF com plantas dos imóveis envolvidos. O Bundestag está localizado no prédio do Reichstag, um marco arquitetônico de Berlim, mas também ocupa outros prédios.

A acusação foi apresentada a um tribunal de Berlim em 12 de fevereiro. O tribunal terá que decidir se acata ou não à denúncia contra o suspeito.

A Rússia reagiu de imediato à acusação. "Esse tipo de relato sobre espiões russos flagrados só alimentam uma campanha contra a Rússia para apoiar o mito da agressão por parte de Moscou", afirmou o presidente do Comitê de Relações Exteriores da Duma, Leonid Sluzki. "A mania de perseguição se fortalece."

As relações entre a Alemanha e a Rússia têm se deteriorado nos últimos anos e pioraram ainda mais após a prisão do líder oposicionista Alexei Navalny, ocorrida depois de ele retornar da Alemanha, onde esteve para se tratar de um envenenamento, para a Rússia.

as/lf (DPA, ARD, Lusa)

Leia mais