1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Pessoas de máscara aguardam sentadas em cadeiras, respeitando o distanciamento.
No primeiro dia de funcionamento em Tóquio, centro já registrava intensa movimentaçãoFoto: Carl Carl Court/AP Photo/picture alliance
SaúdeJapão

Japão abre centros de vacinação em massa

24 de maio de 2021

Centros em Tóquio e em Osaka são uma das estratégias do governo japonês para acelerar a lenta campanha de vacinação no país. Até agora, apenas 5% dos japoneses receberam ao menos uma dose de vacinas contra a covid-19.

https://www.dw.com/pt-br/a-dois-meses-dos-jogos-olimpicos-jap%C3%A3o-abre-centros-de-vacina%C3%A7%C3%A3o-em-massa/a-57640735?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

A dois meses do início dos Jogos Olímpicos, o Japão abriu nesta segunda-feira (24/05) em Tóquio e Osaka os primeiros centros de vacinação em massa contra a covid-19, para acelerar a lenta campanha de imunização no país.

Os centros, geridos pelo exército, ficarão abertos 12 horas por dia, durante três meses, e vão aplicar a vacina desenvolvida pela farmacêutica americana Moderna, cujo uso emergencial foi aprovado pelo governo japonês na sexta-feira.

O governo espera vacinar até dez mil pessoas por dia no centro de vacinação de Tóquio e cinco mil no de Osaka. A meta é inocular a população com mais de 65 anos (cerca de 36 milhões de pessoas) até o final de julho.

Inicialmente, os novos centros só irão vacinar residentes, mas, depois, pessoas de cidades vizinhas também poderão ser imunizadas. Nas próximas semanas, está prevista a abertura de outros centros deste tipo, mas com gestão municipal.

A lentidão da vacinação no país asiático tem gerado preocupação dentro e fora do território, faltando menos de dois meses para a abertura de Tóquio 2021, prevista para 23 de julho. O Japão começou a vacinar em fevereiro e a campanha anda a passos muito lentos. Até sexta-feira, apenas 5% da população havia recebido ao menos uma dose de vacinas contra a covid-19.

A lentidão da campanha é, em parte, atribuída à demora na aprovação de vacinas, associada à má experiência com efeitos colaterais de outros imunizantes e à falta de profissionais de saúde, exaustos pelo trabalho contra a pandemia. 

Em 13 de maio, o Sindicato Nacional de Médicos Japoneses apresentou uma petição ao Governo a pedir o cancelamento dos Jogos Olímpicos, alegando o risco elevado de propagação de novas variantes do coronavírus.

Em março, o comitê organizador dos Jogos de Tóquio anunciou que não será permitida a entrada no Japão de torcedores estrangeiros para o evento. Mesmo assim, Uma pesquisa divulgada este mês mostrou que mais de 80% dos japoneses se opõem à realização dos Jogos Olímpicos neste ano. 

le (lusa, efe, afp)