Ação terrorista em Cabul expõe fragilidade da segurança no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ação terrorista em Cabul expõe fragilidade da segurança no Afeganistão

Foi necessária a intervenção da Otan para que o ataque conduzido por um grupo de talibãs fosse encerrado na capital afegã. Ao menos 18 pessoas morreram, incluindo todos os oito terroristas.

Forças de segurança cercam o hotel, que está em chamas

Forças de segurança cercam o hotel, que está em chamas

O ataque executado pela organização terrorista Talibã a um hotel de luxo de Cabul deixou mais uma vez exposta a precária situação da segurança no Afeganistão. Somente com o apoio de um helicóptero da Otan e de soldados estrangeiros foi possível debelar a ação terrorista, iniciada por um grupo de rebeldes suicidas na noite desta terça-feira (28/06) e concluída na madrugada de quarta.

Segundo o ministério afegão do Interior, os oito terroristas, além de oito civis e dois policiais morreram no ataque. Já o serviço secreto afegão NDS afirmou que, além dos oito terroristas, morreram mais onze pessoas. O governo da Espanha confirmou a morte de um espanhol.

O Talibã reconheceu a autoria do atentado. O porta-voz do grupo terrorista, Zabihullah Mujahid, declarou que os rebeldes haviam se preparado para localizar e matar estrangeiros que estavam no Hotel Continental, um dos mais luxuosos de Cabul. Eles invadiram o local carregando cintos com explosivos, morteiros e armas.

Auxílio da Otan

A ação somente foi debelada com a ajuda de um helicóptero da Isaf, a tropa internacional da Otan para o Afeganistão. Do helicóptero, foram disparados tiros contra os rebeldes no alto do edifício, afirmou o novo porta-voz da Otan, o general alemão Carsten Jacobson.

Segundo ele, as forças de segurança afegãs haviam encurralado alguns terroristas no telhado do prédio e pediram ajuda à Isaf. Não foi divulgado se os terroristas foram mortos pelos soldados estrangeiros ou se detonaram as bombas que carregavam. "Aparentemente, eles estavam com explosivos nas roupas", disse Jacobson.

O porta-voz disse que a Isaf atuou como força de apoio. "A operação foi conduzida pelas forças de segurança afegãs", salientou.

A ação durou cerca de cinco horas, nas quais os rebeldes trocaram tiros com as forças de segurança afegãs. Um repórter da agência de notícias AFP disse ter ouvido cinco explosões. O hotel estava com a luzes apagadas durante a ação terrorista.

Pano de fundo

No hotel estavam hospedados os participantes de uma conferência, nesta quarta-feira, sobre a transferência de poder das forças internacionais para as forças afegãs de segurança. O ataque aconteceu poucas semanas antes do programado início da retirada das tropas internacionais do Afeganistão.

O presidente do Estados Unidos, Barack Obama, anunciou há algumas semanas que pretende retirar 10 mil dos 99 mil soldados americanos no país asiático. A retirada deve começar em julho. Até 2014, todos os soldados estrangeiros terão deixado o Afeganistão, segundo o plano.

AS/dpa/afp
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais