Zimbabué: Viúva do ex-Presidente condenada a dar vacas e cabras por funeral ″inapropriado″ | NOTÍCIAS | DW | 22.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Zimbabué: Viúva do ex-Presidente condenada a dar vacas e cabras por funeral "inapropriado"

A viúva do ex-Presidente do Zimbabué Robert Mugabe foi condenada por um tribunal tradicional a dar cinco vacas e duas cabras por ter enterrado o marido de uma forma considerada inapropriada, disse fonte da família.

Zimbabwes First Lady, Grace Mugabe

A viúva de ex-presidente do Zimbabué, Grace Mugabe.

A viúva do ex-Presidente do Zimbabué Robert Mugabe foi condenada por um tribunal tradicional a dar cinco vacas e duas cabras por ter enterrado o marido de uma forma considerada inapropriada, segunda uma fonte da família. A informação foi avançada nesta sexta-feira (21.05) pelas agências de notícias.

Grace Mugabe foi acusada de enterrar o seu marido, que morreu em 2019, aos 95 anos, no pátio da sua casa em Kutama, a 90 quilómetros a oeste da capital Harare. 

O tribunal habitual reuniu-se em Murombedzi com 15 pessoas presentes. Os jornalistas não puderam assistir à audiência, com a comitiva do líder tradicional a dizer que queria "alguma privacidade".

O chefe Zvimba, nascido Stanley Mhondoro, disse que Mugabe deveria ser enterrado num lugar escolhido pela sua mãe ou pela família em que nasceu. Pediu que o corpo fosse exumado e reenterrado de acordo com os costumes. 

O atual Presidente do Zimbabué, Emmerson Mnangagwa, gostaria que fosse sepultado no panteão nacional dos heróis da luta de libertação em Harare, mas um sobrinho de Mugabe disse, à imprensa, na semana passada que não havia conflito no seio da família sobre o assunto porque Mugabe, durante a sua vida, tinha deixado claro que não queria ser enterrado ali. 

Robert Mugabe, que governou o Zimbabué de forma autoritária durante 37 anos, foi forçado a demitir-se pelos militares e substituido no cargo pelo então vice-Presidente Mnangagwa.