Zimbabué: Exército intervém e mantém Mugabe sob custódia - Minuto a minuto | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 15.11.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Zimbabué: Exército intervém e mantém Mugabe sob custódia - Minuto a minuto

Movimentações militares deixam clima de tensão em Harare. Exército nega golpe de Estado, mas mantém Presidente em prisão domiciliária.

Atualizações no Horário Universal Coordenado

O que destacamos durante a cobertura Minuto a Minuto: 

- Militares bloquearam edifícios do Governo, depois de tomarem o controlo de televisão estatal durante a noite de terça-feira (14.11).

- Exército nega golpe e afirma que Presidente Robert Mugabe está em segurança.

- Apoiantes do Exército falam em "correção sem sangue".

- Três ministros foram detidos pelos militares.

- Mugabe prepara-se para renunciar e busca saída para sua esposa, diz emissora

- Por telefone, Mugabe confirma a Jacob Zuma que está sob prisão domiciliária e que passa bem.  

 

16:03 Encerramos aqui a nossa cobertura Minuto a Minuto. Acompanhe mais notícias.

15:51 O chefe da União Africana disse que a crise no Zimbábue "parece um golpe" e pediu que os militares suspendessem as ações em respeito à Constituição. Alpha Condé, que também é Presidente da Guiné-Conacri, condena a intervenção militar, dizendo que "claramente os soldados tentam assumir o poder pela força".

15:37 O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, disse que "Governos autoritários, seja no Zimbabué ou em qualquer outro lugar, não devem ter lugar em África". Segundo Johnson, o Reino Unido fará de tudo para garantir que as eleições ocorram no primeiro semestre do próximo ano. "Uma oportunidade genuína para todos os zimbabueanos decidirem o seu futuro".

15:28 O Governo Mugabe é responsável por atrocidades como os massacres de Matabeleland, na década de 1980. Em entrevista exclusiva à DW, em março, a ex-vice-Presidente Joice Mujuru afirmou que era “autónoma” do regime. Confira:

Assistir ao vídeo 02:02
Ao vivo agora
02:02 min

Ex-vice de Robert Mugabe afirma que era “autónoma” do regime

15:02 De libertador a Presidente tirano: o percurso sinuoso de Robert Mugabe.

14:48 Andy Lines, repórter do jornal britânico Daily Mirror, afirma que uma fonte no Zimbabué disse-lhe que a primeira-dama Grace Mugabe viajou para a Namíbia na noite desta terça-feira (14.11) com a permissão dos militares.

14:37 A agência de notícias Associated Press informa que o ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa pode estar pronto para retornar ao Zimbabué para assumir uma posição de liderança. Mnangagwa - apelidado de "Crocodilo" - foi demitido por Mugabe no início de novembro por ser uma ameaça às intenções da primeira-dama Grace Mugabe.

14:25 O Presidente Robert Mugabe, aos 93 anos, está há quase 30 anos no poder. Assim como Mugabe, outros líderes africanos. Confira:

14:00 O Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, em mensagem divulgada pelo seu porta-voz, Garba Shehu, apelou para que os atores políticos e militares do Zimbabué evitem qualquer ação que possa provocar "conflitos desnecessários e impactar negativamente a região".

13:54 Mudanças inconstitucionais não são aceitas nem reconhecidas pela União Africana ou pela Comunidade Regional de Desenvolvimento da África Austral (SADC), disse Clayson Monyela, porta-voz do Governo sul-africano, à rádio SAfm em Joanesburgo.

13:44 "A intervenção militar não deve ser usada como desculpa para minar as obrigações e compromissos internacionais e regionais de direitos humanos do Zimbabué", diz a Amnistia Internacional no Twitter. O diretor regional da organização, Deprose Muchena, também afirma que neste momento é necessário os militares garantam a segurança de todos os cidadãos, "independentemente das suas orientações políticas".

 

Assistir ao vídeo 00:28
Ao vivo agora
00:28 min

Exército patrulha ruas de Harare

13:16 A primeira-ministra da Grã-Bretanha, Theresa May, disse acompanhar os desdobramentos no Zimbabué e afirmou que a situação continua calma. Também o ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, declarou que não é possível dizer se a ação militar vai derrubar o Governo Mugabe. Johnson apelou à "abstenção de toda e qualquer violência" para que o país continue a ser "estável e próspero". 

13:03 O Presidente da África do Sul espera que os militares do Zimbabué respeitem a Constituição "para que a situação não vá além". Jacob Zuma dirigiu-se à nação na televisão pouco depois de falar com o Presidente Robert Mugabe. O Governo sul-africano também divulgou o pronunciamento nas redes sociais.

12:53 O Governo alemão manifestou sua preocupação com a situação no Zimbabué e apelou para que não haja violência. "Um diálogo entre os atores [políticos e militares] é necessário para evitar um confronto e chegar a uma solução pacífica", disse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros em Berlim, acrescentando que não é possível afirmar se a ação militar em curso é um golpe de Estado.

12:32 Algumas reações dos zimbabueanos no Twitter:

"Há lições para muitos Presidentes africanos aqui. Sua esposa é beneficiária da sua eleição, ninguém a elegeu. Não pode simplesmente entregar-lhe o poder".

"O Zimbabué é um ciclo vicioso. Você está no poder há décadas, e quando deve passar o poder, escolher alguém da sua confiança".

"Apesar de tudo, tenho que pedir ao Exército que mantenha a paz".

 

12:17 O ministro da Defesa do Zimbabué, Sydney Sekeramayi, alertou que há pessoas interessadas em destruir a imagem do seu Governo: "Eles divulgam informações para deteriorar a nossa imagem, com o objetivo de orquestrar uma mudança de regime forçada", disse Sekeramayi, durante uma reunião ministerial em Moçambique. 

Simbabwe Krise Straßenszenen aus Harare

Veículos militares ocupam as ruas de Harare

12:11 O Ministério dos Negócios Estrangeiros de França acompanha de perto a situação no Zimbaubé e anunciou medidas de segurança para os cidadãos franceses que estão no país. Entre elas, o fechamento de uma escola.

11:56 No Twitter, o Governo da África do Sul informou que enviará a ministra da Defesa e Veteranos Militares, Nosiviwe Mapisa-Nqakula, e o Ministro da Segurança do Estado, Bongani Bongo, para o Zimbabué. Eles devem encontrar-se com o Presidente Robert Mugabe e o Exército.

11:49 O correspondente da DW África no Zimbabué, Columbus Mavhunga, foi agredido por soldados na noite de terça-feira depois de comparecer a uma conferência de imprensa falsa, alegadamente convocada pelos militares. "Não tenho fraturas e tive alta do hospital. Sentar e caminhar são grandes problemas", disse Mavhunga.

11:40 A Embaixada da Alemanha em Harare informa que permancerá com os serviços encerrados até esta quarta-feira (16.11).

Simbabwe Krise Victor Matemadanda PK in Harare

Victor Matemadanda: "Mugabe tem de ser demitido"

11:35 O líder da influente associação de veteranos de guerra do Zimbabué pede a demissão do Presidente Robert Mugabe. Victor Matemadanda, que elogiou a ação militar, apelou ao partido no poder que investigasse Mugabe.

11:30  A União Europeia (UE) pede diálogo e uma solução pacífica para a crise no Zimbabué. "Os recentes desenvolvimentos políticos no Zimbabué e seus desdobramentos, inclusive em relação às forças de segurança do país, são motivo de preocupação", disse a porta-voz da Comissão Europeia, Catherine Ray, acrescentando que os direitos dos cidadãos têm de ser respeitados. 

11:11 Em entrevista exclusiva à DW África, Tendai Biti, antigo ministro das Finanças e líder do MDC, principal partido da oposição do Zimbabué, condena a ação militar em curso no país, mas reconhece que já é tempo de Robert Mugabe deixar o poder. "Condenamos a retirada ilegal do Presidente, mas é preciso reconhecer duas coisas. Uma é que não houve violência, e acho que o Exército planeou esta ação cuidadosamente. Outra questão é que há uma crise política centrada no Presidente e na sua sucessão. Existe o grave risco de uma dinastia Mugabe se a sua esposa assumir o poder", avalia.

Ehemaliger Finanzminister Simbabwes Tendai Biti

Tendai Biti: "Há uma crise política centrada no Presidente e na sua sucessão"

10:45 O Presidente Robert Mugabe está sob prisão domiciliária no Zimbabué, confirmou o Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, numa declaração. "O Presidente Zuma falou com o Presidente Robert Mugabe hoje cedo, que indicou que estava confinado em sua casa, mas disse que estava bem", afirmou o Governo sul-africano num comunicado.

10:38 O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido recomenda aos britânicos "atualmente em Harare que permaneçam em segurança em casa ou nos seus alojamentos até que a situação se torne mais clara". O Governo de Portugal também pede aos cidadãos portugueses que evitem zonas de grande concentração na capital. A mesma mensagem foi transmitida pela Embaixada dos Estados Unidos, no Twitter, adicionando que, "devido à incerteza" política no país, não realiza atendimentos nesta quarta-feira. 

10:24 O secretário-geral do partido da oposição no Zimbabué, o Movimento para a Mudança Democrática (MDC-T), Douglas Mwonzora, afirma que, perante a tensão vivida no país, estão "seguros de que o Exército está em processo de tomar o comando". 

10:14 O Exército tomou o controlo de um depósito da unidade de apoio da polícia paramilitar, em Harare, disse uma fonte do exército à Reuters.

"Eles estão agora a cargo de todo o arsenal, de todos os portões e estradas que conduzem ao interior ou exterior do acampamento. A estrada Arcturus (que leva ao acampamento) está fechada e todos foram desarmados", disse a fonte.

10:08 Veículos militares e soldados patrulham as ruas da capital Harare.

10:00 O Presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, está a preparar a sua renúncia enquanto negocia para que sua mulher, Grace Mugabe, saia do país, perante a intervenção militar que alimenta os rumores sobre um possível golpe de Estado, informou a emissora de televisão sul-africana "News24". O exército mantém a família presidencial e toda sua guarda sob sua custódia.

09:56 No Twitter, o partido no poder, ZANU-PF, afirma que: "O Zimbabué é pacífico e não há instabilidade. A Constituição não foi violada, continua a existir uma democracia."

09:48 O clima na capital Harare permanece calmo, apesar da tensão política. Preocupados com as movimentações políticas no país, os moradores formaram longas filas nos bancos, a fim de levantar dinheiro. 

Simbabwe Krise Straßenszenen aus Harare

Temendo a situação política do país, zimbabueanos formam longas filas nos bancos da capital Harare

09:42 O Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, manifestou-se contra qualquer mudança de regime "inconstitucional" no Zimbabué. Numa declaração da presidência lê-se que Zuma está "muito preocupado" com a situação e expressou a esperança de que os desenvolvimentos no Zimbabué não "levem a uma alteração inconstitucional do Governo". 

09:38 O portão de entrada da casa do ministro das Finanças, Ignatius Chombo, foi destruído pelos militares que o detiveram mais cedo, segundo foto veiculada no Twitter. Chombo faria parte do grupo conhecido como G40, uma facção do partido no poder que, segundo os analistas, pretende expulsar os veteranos da guerra de independência - como o vice-presidente Emmerson Mnangagwa, destituído na semana passada - para abrir caminho para primeira-dama, Grace Mugabe, ao poder.

09:25 Três ministros do Governo do Zimbabué foram detidos pelos militares que tomaram as ruas da capital, Harare, afirma o jornal independente "NewsDay". Após incursões militares nas suas residências, os soldados detiveram o ministro das Finanças, Ignatius Chombo, titular da Educação Superior, Jonathan Moyo, e de Governo Local, Obras Públicas e Habitação e comissário político a nível nacional da União Nacional Africana do Zimbábue - Frente Patriótica (ZANU-PF), Saviour Kasukuwere.
 

Simbabwe Generalmajor Sibusiso Moyo

Militares falam à nação na emissora pública de televisão

Zimbabué sob controlo dos militares?

O Exército do Zimbabué desmentiu na madrugada desta quarta-feira (15.11) que esteja em curso um golpe de Estado militar, depois de uma noite de agitação na capital, com soldados armados e veículos militares nas ruas da capital e o registo de pelo menos três explosões.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados