UNITA ″barra″ Pedro Mulemba e avança com Adalberto Costa Júnior | Angola | DW | 12.11.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

UNITA "barra" Pedro Mulemba e avança com Adalberto Costa Júnior

A candidatura de Pedro Mulemba, um militante desconhecido, foi rejeitada. Adalberto Costa Júnior concorre sozinho à sucessão de Isaías Samakuva no congresso da UNITA marcado para dezembro.

Adalberto Costa Júnior é candidato único à liderança da União para a Independência Total de Angola (UNITA), o maior partido da oposição no país.

Costa Júnior foi deposto no mês passado após uma decisão do Tribunal Constitucional, que anulou o congresso em que fora eleito como presidente. O Constitucional anuiu ao requerimento de militantes que protestaram contra a dupla nacionalidade do político no momento da eleição.

Ao anunciar a sua recandidatura, na quarta-feira (10.11), Adalberto Costa Júnior prometeu não decepcionar aqueles que acreditam em si. 

"A todos os que hoje olham para a UNITA como instrumento de realização do país, muito mais do que a própria UNITA, não vos deixaremos ficar mal. Que Deus nos abençoe neste caminho de servir Angola", afirmou. 

Pré-candidato Mulemba foi "barrado"

Na quinta-feira, o último dia para a entrega das candidaturas à liderança da UNITA, a coordenadora da comissão de mandatos da UNITA, Amélia Judite Ernesto, avançou que o militante Pedro Mulemba também enviara os seus dados.

Pouco se sabe sobre ele – apenas que tem 44 anos de idade e é natural do Bengo, província nortenha angolana.

Mas após verificação da documentação apresentada, Amélia Judite anunciou que a pretensão de Mulemba de concorrer à presidência do partido foi "imediatamente rejeitada", por não reunir os requisitos. 

Angola | Adalberto Costa Júnior erklärt offiziell seine Kandidatur für den Vorsitz der UNITA

Formalização da recandidatura de Adalberto Costa Júnior, na quarta-feira (10.11)

"Este militante apresentou apenas uma cópia da identificação pessoal e uma autobiografia. Aliás, nem sequer é autobiografia, é um certificado de um curso técnico-profissional", disse Judite esta sexta-feira (12.11).

O artigo 13º dos estatutos da UNITA obriga o candidato à presidência a ser membro da Comissão Política, requisito que Pedro Mulemba não reúne, além de não ter apresentado qualquer subscrição à sua pretensão de concorrer ao mais alto posto do maior partido na oposição.  

"Reposição" da chefia destituída

Sendo assim, Adalberto Costa Júnior candidata-se sozinho à sucessão de Isaías Samakuva.

Esta semana, em entrevista à DW África, Rafael Savimbi, filho do presidente-fundador Jonas Malheiro Savimbi, admitiu que a candidatura única faz sentido, pois é uma situação excecional, para "repor" o líder destituído pelo Tribunal Constitucional.

"É verdade que, na UNITA, não há um único candidato, não existe isso nos nossos estatutos. Somos pelas múltiplas candidaturas e foi sempre isso que nos distinguiu do MPLA. Mas estamos a viver um momento muito peculiar que faz com que [desejemos] a reposição de uma situação que infelizmente não correu bem", afirmou.

Para este sábado (13.11) está prevista uma conferência de imprensa convocada pela comissão de mandatos.

Assistir ao vídeo 05:25

O que está a acontecer na UNITA?

Leia mais