União Europeia autoriza uso da primeira vacina contra o coronavírus | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 22.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

União Europeia autoriza uso da primeira vacina contra o coronavírus

A Comissão Europeia aprovou a colocação no mercado da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer e BioNTech. Uma boa maneira de "começar a virar a página desta pandemia", anunciou a chefe do Executivo de Bruxelas.

"Hoje acrescentámos um importante capítulo ao nosso combate contra a Covid-19. Tomámos a decisão de disponibilizar aos cidadãos europeus a primeira vacina contra a Covid-19. Concedemos autorização comercial condicional à vacina produzida pelo BioNTech e Pfizer", anunciou esta segunda-feira (21.12) a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na sede da Comissão Europeia, em Bruxelas.

"É uma boa maneira de terminar este ano tão difícil e finalmente começar a virar a página em relação à Covid-19", sublinhou Ursula von der Leyen, explicando que com esta licença o laboratório da Pfizer na Bélgica começará a enviar as primeiras remessas de vacinas "nos próximos dias".

"Este é um grande dia para a Europa", reagiu também a comissária europeia para a Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides. "É um dia de verdadeira solidariedade europeia em ação. Após meses de trabalho, vemos a nossa estratégia de vacinas da UE dar frutos: acesso a vacinas seguras, eficazes e acessíveis ao mesmo tempo para todos os Estados-membros", sublinhou.

Tal como previsto pelo executivo comunitário, a vacinação poderá, assim, arrancar entre 27 e 29 de dezembro em todos os países da União Europeia (UE). A autorização foi anunciada poucas horas depois de a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) ter dado o seu parecer científico favorável.

Brüssel EU | Brexit | Ursula von der Leyen, Präsidentin der Europäischen Kommission

Ursula von der Leyen: "Hoje acrescentámos um importante capítulo ao nosso combate contra a Covid-19"

Mais vacinas na lista da UE

A vacina contra o coronavírus desenvolvida pelas empresas Pfizer e Biontech é a primeira autorizada para uso no bloco europeu, mas "outras serão aprovadas se demonstrarem que são seguras e eficazes", como a desenvolvida pela Moderna, que especialistas da Agência Europeia de Medicamentos esperam terminar de estudar em 6 de janeiro, lembrou a política alemã.

Além da vacina da Pfizer e BioNTech, a Comissão Europeia já tem uma carteira com seis outras potenciais vacinas, desenvolvidas pela AstraZeneca, Sanofi-GSK, Johnson & Johnson, CureVac e Moderna, devendo então esta última ser a próxima a receber 'luz verde' da EMA.

A presidente da Comissão Europeia prometeu "ajudar a garantir (este medicamento) para o resto do mundo, enquanto as vacinas são distribuídas para os europeus". E disse estar "orgulhosa de a primeira vacina contra a covid-19 disponível na Europa ser um verdadeiro produto de inovação europeia".

A empresa alemã BioNTech recebeu mais de 9 milhões de euros dos fundos de pesquisa da UE na última década, verba que permitiu o desenvolvimento de tecnologias inovadoras que levaram ao fabrivo da vacina contra a Covid-19.

Assistir ao vídeo 01:24

Alemanha planeia vacinação em massa contra a Covid-19

Leia mais