1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: President of Ukraine/apaimages/IMAGO

Zelensky pede mísseis de longo alcance e aviões de combate

DW (Deutsche Welle) | Lusa
26 de janeiro de 2023

Após luz verde da Alemanha e EUA para envio de tanques pesados para as forças armadas de Kiev, o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pede agora aos aliados o envio de mísseis de longo alcance e aviões de combate.

https://p.dw.com/p/4MhpC

A Ucrânia precisa que os seus aliados ocidentais enviem mísseis de longo alcance e aviões de combate para enfrentar a Rússia, disse esta quarta-feira (25.01) o Presidente ucraniano, pouco depois de a Alemanha e os Estados Unidos da América (EUA) terem anunciado a entrega de tanques pesados.

No seu discurso diário nas redes sociais, Volodymyr Zelensky revelou que já tinha feito estas exigências numa conversa telefónica com o secretário-Geral da NATO, Jens Stoltenberg.

"Falei com o secretário-geral da NATO. Temos de desbloquear o fornecimento de mísseis de longo alcance para a Ucrânia. É importante para nós expandir a cooperação em artilharia, temos de conseguir o fornecimento de aeronaves à Ucrânia", disse.

Vários países ocidentais confirmaram ontem o envio de tanques pesados para a Ucrânia, embora os números sejam ainda incertos, após a Alemanha ter autorizado a cedência dos Leopard 2 e de os Estados Unidos anunciarem o fornecimento de blindados Abrams, como forma de apoio contra a invasão russa iniciada em 24 de fevereiro do ano passado.

Zelensky voltou a agradecer aos EUA e à Alemanha pela decisão de enviar tanques pesados para a Ucrânia e disse que o principal objetivo agora é a velocidade e o volume. "A velocidade de treino dos nossos militares, a velocidade de fornecimento de tanques para a Ucrânia", especificou.

Porém, o chanceler alemão, Olaf Scholz, já alertou que enviar este tipo de material a Kiev seria transpor uma linha vermelha: "Deixei claro desde o início que não estamos a discutir o envio de aviões de combate. No início da guerra, quando falámos sobre zonas de exclusão aérea, disse ao Presidente americano que não faríamos isso. Esta posição não mudou, nem mudará".

A Alemanha autorizou o envio de tanques para os militares ucranianos combaterem a invasão russa, anunciou ontem chanceler Olaf Scholz
A Alemanha autorizou o envio de tanques para os militares ucranianos combaterem a invasão russa, anunciou ontem chanceler Olaf ScholzFoto: Moritz Frankenberg/dpa/picture alliance

Rússia intensifica ofensiva

Zelensky voltou a agradecer aos EUA e à Alemanha pela decisão de enviar tanques pesados para a Ucrânia e disse que o principal objetivo agora é a velocidade e o volume. "A velocidade de treino dos nossos militares, a velocidade de fornecimento de tanques para a Ucrânia", especificou.

Segundo a vice-ministra da defesa ucraniana, Ganna Maliar, as tropas russas estão a "intensificar" a sua ofensiva na região de Donetsk, na Ucrânia, na bacia de Donbas (leste), onde têm "superioridade" em termos de tropas e equipamento militar.

Zelenski também recordou que o exército ucraniano tem enfrentado "dezenas de ataques diários do inimigo" na bacia de Donbas.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro de 2022 pela Rússia na Ucrânia causou até agora a fuga de mais de 14 milhões de pessoas - 6,5 milhões de deslocados internos e quase oito milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

Neste momento, 17,7 milhões de ucranianos precisam de ajuda humanitária e 9,3 milhões necessitam de ajuda alimentar e alojamento.

Putin quer libertar Donbass, Zelensky quer a Crimeia

Saltar a secção Mais sobre este tema