Ucrânia anuncia fim da retirada de civis de siderúrgica em Mariupol | NOTÍCIAS | DW | 07.05.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Ucrânia anuncia fim da retirada de civis de siderúrgica em Mariupol

Fontes oficiais ucranianas avançaram neste sábado (07.05) que todas as mulheres, crianças e idosos foram evacuados do complexo siderúrgico de Azovstal, em Mariupol, há muito sitiado pelas forças russas.

Ukraine-Krieg Mariupol | Evakuierung aus Stahlwerk Asovstal

Idosos evacuados neste sábado do complexo siderúrgico ucraniano de Azovstal, em Mariupol.

A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, afirmou neste sábado que todos os civis que estavam abrigados na siderúrgica de Azovstal, em Mariupol, no leste do país, foram retirados do local.

"Hoje, conseguimos retirar 50 mulheres, crianças e idosos de Azovstal. Amanhã pela manhã, continuaremos com a operação de evacuação", disse a integrante do regime de Kiev, por meio de mensagem difundida pelo Telegram.

A guerra na Ucrânia devastou a costa sul do país, com forças russas a disparar mísseis contra a cidade de Odessa e bombardear a siderurgia que albergava civis e combatentes ucranianos.

Os russos esperavam completar a sua conquista do porto de Mariupol a tempo das celebrações do "Dia da Vitória", que a Rússia celebra no dia 09 de maio.

Ukraine-Krieg Mariupol | Stahlwerk Asovstal

O complexo siderúrgico ucraniano de Azovstal, em Mariupol.

"Dia da Vitória"

O "Dia da Vitória" é celebrado como aquele que marca a derrota da Alemanha nazi e o fim da Segunda Guerra Mundial, ocasião em que as tropas russas tiveram um importante papel.

No entanto, num sinal da defesa inesperadamente eficaz e que tem sustentado os combates na sua 11ª semana, o exército ucraniano marcou posições numa ilha do Mar Negro, que fora capturada nos primeiros dias de guerra pelos russos, e que tornou-se um símbolo da resistência ucraniana.

Analistas militares ocidentais disseram que uma contra-ofensiva ucraniana também estava a avançar em torno da segunda maior cidade do país, Kharkiv, mesmo que continuasse a ser um alvo chave dos bombardeamentos russos.

O exército ucraniano também avançou que retomou o controlo de cinco aldeias e parte de uma sexta quase contestada em Kharkiv.

Ukraine | Krieg | Zerstörung in Charkiw

Civis ucranianos em Kharkiv.

Ataques russos

Com a aproximação do feriado em que a Rússia comemora a derrota nazista na Segunda Guerra Mundial, cidades de toda a Ucrânia prepararam-se para um aumento esperado dos ataques russos.

O Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky exortou os residentes a prestarem atenção aos avisos de ataques aéreos.

Entretanto, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse neste sábado que Zelensky e o seu povo "encarnam o espírito daqueles que prevaleciam durante a Segunda Guerra Mundial".

Blinken também acusou o Presidente russo, Vladimir Putin, de "distorcer a história para tentar justificar a provocada e brutal guerra contra a Ucrânia".

Neste sábado, o Presidente norte-americano Joe Biden anunciou um novo pacote de ajuda militar à Ucrânia no valor de 150 milhões de dólares (cerca de 142 milhões de euros), que inclui munições de artilharia e radar.

Também hoje, o diretor da CIA, a principal agência de informações dos EUA, Bill Burns, disse em Washington que não possui informações que apontem para a utilização pela Rússia de armas nucleares táticas na Ucrânia. 

Uma vitória contra a guerra