Turismo em Angola decaiu mas ainda rendeu 30,3 milhões | Angola | DW | 16.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Turismo em Angola decaiu mas ainda rendeu 30,3 milhões

Em 2017, entraram em Angola 260.961 turistas, menos que os 397.485 registados no ano anterior. As receitas do turismo renderam ao Estado angolano 10.000 milhões de kwanzas (30,3 milhões de euros).

Segundo o diretor do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas (GEPE) do Ministério da Hotelaria e Turismo de Angola, Mário dos Santos, citado no Jornal de Angola, o setor do Turismo em Angola representa 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

As receitas de 2017, porém, representaram um decréscimo de 2.000 milhões de kwanzas (seis milhões de euros) em relação a 2016, quando o setor gerou 12 mil milhões de kwanzas (36,3 milhões de euros), facto que o diretor do GEPE atribuiu à "precária situação económica" que o país atravessa.

Menos turistas do que em 2016

Em 2017, entraram em Angola 260.961 turistas, menos que os 397.485 registados em 2016, redução que obrigou o Ministério da Hotelaria e Turismo a estabelecer uma agenda com outros parceiros para impedir que o número de entradas continue a retroceder.

O Ministério da Hotelaria e Turismo admitiu que só haverá entrada de turistas no país se se tornarem "verdadeiramente operacionais" as infraestruturas hoteleiras, estradas, transportes, segurança, saneamento, energia e águas, uma vez que só assim, disse, se "fortalecerá a indústria e a economia do turismo".

As províncias de Luanda, Benguela, Huíla, Huambo e Cabinda são as que mais turistas receberam, enquanto os principais países emissores de turistas para Angola foram a África do Sul, Namíbia e a República Democrática do Congo.

Leia mais