Trabalhadores contratuais na RDA | Moçambique | DW | 12.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Trabalhadores contratuais na RDA

É pelo nome de "Madgermanes" que são conhecidos os mais de 20.000 cidadãos moçambicanos que trabalharam temporariamente na antiga e extinta República Democrática da Alemanha (RDA).

Foi no dia 24 de fevereiro de 1979, que o Presidente do Conselho de Estado da República Democrática Alemã, Erich Honecker, visitou Maputo e assinou com as autoridades moçambicanas o acordo de amizade e cooperação entre a RDA e a República Popular de Moçambique que deu início à migração dos trabalhadores moçambicanos. Na RDA também houve trabalhadores contratuais de outros países socialistas como Angola, Cuba e Vietname. Os trabalhadores contratuais de Moçambique ficaram conhecidos como “madgermanes”, nome que deriva da designação "Made in Germany" ("Fabricado na Alemanha"). A queda do Muro de Berlim, em novembro de 1989, marcou o início do colapso da RDA. Em 1990, o ano da reunificação alemã, foram renegociados os tratados com os países de origem dos trabalhadores contratuais: as empresas estatais da RDA passaram a poder rescindir unilateralmente os contratos com os empregados estrangeiros. Neste ano, a esmagadora maioria dos 15.000 "madgermanes" que viveram naquele momento na Alemanha regressou a Moçambique. Os "madgermanes" são considerados um dos grupos mais ativos da sociedade civil moçambicana. Quem passa pelo seu ponto de encontro em Maputo, o Jardim 28 de Maio, vê várias bandeiras alemãs.

Ver mais