Restrições mais rígidas na Alemanha para conter Covid-19 | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 15.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Restrições mais rígidas na Alemanha para conter Covid-19

O Governo alemão anunciou medidas mais rígidas para travar a propagação da Covid-19, como a redução do número de pessoas em eventos de alto risco. País já soma mais de 6 mil novos casos, número não registado desde abril.

Angela Merkel Devemos evitar um aumento descontrolado ou exponencial de casos

Angela Merkel "Devemos evitar um aumento descontrolado ou exponencial de casos"

O aumento vertiginoso de casos de Covid-19 na Alemanha fez o Governo adotar restrições mais duras para tentar conter a pandemia.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os governadores dos 16 estados federados do país decidiram adotar uma abordagem unificada que prevê expandir o uso de máscaras e limitar reuniões.

"Devemos, portanto, evitar um aumento descontrolado ou exponencial de casos. E podemos ver que as taxas de infeção estão a aumentar, como mostram as estatísticas diárias", disse a chanceler.

O anúncio de Angela Merkel, na quarta-feira (14.10), ocorreu depois de a Alemanha ter ultrapassado, pela primeira vez desde abril, mais de 6 mil novos casos diários do novo coronavírus.

Aumento de casos durante o inverno

Lothar Wieler, presidente do Instituto Robert Koch, agência governamental responsável pelo controlo e prevenção de doenças infeciosas, alertou que os casos da doença vão aumentar durante o inverno.

"Os casos de Covid-19 estão a subir e não sabemos como estes números se vão desenvolver. Mas acreditamos que as infeções pelo novo coronavírus vão continuar a aumentar durante o inverno, sobretudo os casos com grandes complicações", disse.

Assistir ao vídeo 04:39

Covid-19: Aumento vertiginoso de casos na Alemanha

Angela Merkel disse ainda que está convencida de que as ações tomadas nesta e nas próximas semanas serão decisivas para determinar como a Alemanha irá recuperar da pandemia.

As intensas negociações entre a chanceler e os estados duraram oito horas e tiveram o objetivo de estabelecer uma abordagem mais unificada devido a preocupações de que o sistema federativo alemão esteja a promover regras contraditórias ou confusas.

Mais exigências e máscaras

As medidas incluem impor limites para aglomerações, bem como o uso obrigatório de máscaras em todos os lugares onde as pessoas tenham contacto próximo durante um período prolongado quando as novas infeções numa zona chegarem a 35 por 100.000 habitantes.

Atualmente, as máscaras só são exigidas nos transportes públicos e nas lojas. O limite anterior era de 50 infeções por 100.000 habitantes.

O ministro da Saúde da Alemanha Jens Spahn, apelou para que os cidadãos respeitem as medidas restritivas adotadas pelo Governo: "Hoje, é preciso evitar algumas coisas para podermos retomar as nossas vidas normalmente amanhã. Esta reflexão é muito importante. Nós conhecemos a dinâmica deste vírus e sabemos como combatê-lo."

Deutschland Köln Symbolfoto Maskenpflicht

Uso de máscara passará a ser obrigatório em mais locais

Angela Merkel sublinhou que é preciso pedir especialmente aos jovens que dispensem algumas festas agora para ter uma vida boa "amanhã ou depois de amanhã".

As reuniões privadas foram limitadas a 10 pessoas ou duas famílias e os bares e restaurantes são obrigados a fechar depois das 11 da noite. Por isso, o Governo está a preparar um apoio adicional às empresas que tiverem suas atividades interrompidas devido à pandemia.

Segundo o Instituto Robert Koch, embora o número de casos diários seja semelhante ao registado no auge da pandemia em março e abril, agora, estão a ser realizados muito mais testes e, portanto, são descobertas mais infeções.

Leia mais