Restos mortais de Savimbi entregues à UNITA e à família | Angola | DW | 31.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Restos mortais de Savimbi entregues à UNITA e à família

Porta-voz da UNITA assegura que as cerimónias fúnebres do líder fundador do partido continuam marcadas para sábado, 1 de junho. Funeral será em Lopitanga, a terra natal de Jonas Savimbi.

Jonas Savimbi fala a soldados na Jamba, em dezembro de 1985

Jonas Savimbi fala a soldados na Jamba, em dezembro de 1985

Os restos mortais de Jonas Savimbi, líder fundador da União para a Independência Total de Angola (UNITA), já estão na posse da família e do partido, depois do impasse entre o Governo angolano e a maior força da oposição em Angola.

A urna com as ossadas de Savimbi foi entregue à direção da UNITA esta sexta-feira (31.05.) no município do Andulo, província do Bié, depois de uma reunião de emergência entre o presidente do "Galo Negro", Isaías Samakuva, e o chefe de Estado angolano, João Lourenço.

O "Novo Jornal", que cita o porta-voz do partido, Alcides Sakala, avança que o programa previsto para as exéquias foi alterado e que os restos mortais já não vão passar pela cidade do Huambo. A urna vai diretamente de Andulo para Lopitanga, a terra natal de Jonas Savimbi, sem passar pelo Huambo, como programado.

Apelo ao diálogo

Em declarações à imprensa, esta sexta-feira à tarde, Isaías Samakuva disse que o impasse com o Governo angolano foi ultrapassado e agora não é o momento de se questionar as razões dos "irritantes" que se verificaram no início da semana.

Angola - UNITA Parteiführer Isaias Samakuva

Líder da UNITA, Isaías Samakuva

O líder do "Galo Negro" frisa que o diálogo é fundamental: "Gostaríamos de dizer aos angolanos, não só aos militantes da UNITA, que o nosso compatriota, o nosso pai, o nosso irmão, o nosso mais velho, o nosso dirigente, tombou por causa de um conflito que só aconteceu porque não houve diálogo", disse Samakuva . "Portanto, os angolanos deviam ter isso em conta, porque os passado deixa-nos lições, para que o que ocorreu no passado não volte a acontecer no nosso seio".

Apesar do funeral de Jonas Savimbi não merecer honras de Estado, o presidente da UNITA sublinha que o líder fundador do partido "é um herói nacional. E, mesmo que em termos oficiais e formais, não se reconheça, para nós, não é esse reconhecimento que conta. Para nós o que conta é o reconhecimento dos angolanos".

E isso "tem sido constatado, principalmente nesta semana, por toda a parte do país", refere.

Funeral mantém-se no sábado

Ao "Novo Jornal", o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala, assegurou que os restos mortais de Jonas Savimbi vão a enterrar no sábado (01.06.) às 10 horas da manhã, depois de um velório em Lopitanga.

Ainda de acordo com Sakala, cerca de 150 mil pessoas aguardam a chegada dos restos mortais de Savimbi.

Jonas Malheiro Savimbi nasceu em agosto de 1934 na província angolana do Bié e foi morto em combate na zona de Lucusse, Moxico, a 22 de fevereiro de 2002. Depois da sua morte, o Governo do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) assinou os acordos de paz de 4 de abril de 2022 com a UNITA.

Artigo atualizado às 19:35 (CET) de 31 de maio de 2019

Leia mais

Links externos