RENAMO denuncia violência política na província de Manica | Moçambique | DW | 19.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

RENAMO denuncia violência política na província de Manica

RENAMO fala em irregularidades, desde casos de perseguição, raptos, tortura e mortes. Chefe de bancada do partido em Manica considera situação "preocupante". FRELIMO diz que também há vítimas entre os seus membros.

Celestino Manuel Jó da RENAMO

Celestino Manuel Jó da RENAMO

O chefe da bancada da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) na Assembleia Provincial de Manica, Celestino Manuel Jó, diz que a situação é preocupante. Os membros do partido têm enfrentado grandes dificuldades na província de Manica - sobretudo nos distritos de Barué, Gondola, Chimoio, Mossurize e Machaze.

"No distrito de Barué é frequente. Logo no princípio deste ano perdemos um delegado e outros foram torturados. Um delegado no posto de Honde foi barbaramente torturado e depois veio perder a vida. No dia 13 do mês passado, os delegados de Nhabuto foram torturados gravemente", relata.

Ouvir o áudio 03:16

RENAMO denuncia violência política na província de Manica

O chefe da bancada da RENAMO já transmitiu estas preocupações ao governador de Manica, Alberto Ricardo Mondlane e explica que o que quer é preservar a paz.

"Para nós, isso é uma violação grosseira da trégua, porque neste momento cada partido está livre para fazer as suas atividades políticas. Mas de uma maneira ou outra, vamos continuar a conter-nos para não respondermos às provocações porque o que nós queremos é a paz", diz..

Garantir a paz

Estes episódios acontecem numa altura em que o Presidente da República, Filipe Nyusi, e o líder da RENAMO, Afonso Dhlakama, continuam as conversações. Na terça-feira o chefe de Estado o chefe de estado afirmou que o Governo e o principal partido de oposição estão a finalizar um acordo para o desarmamento, desmobilização e reintegração dos combatentes da RENAMO nas forças de segurança.

O chefe da bancada da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), José Manuel Cebola, que tem maioria na Assembleia Provincial de Manica, prefere não entrar em detalhes sobre os confrontos de que são acusados. Acrescenta ainda que também há membros da FRELIMO alvo de ataques, um pouco por todo o país.

 Alberto Ricardo Mondlane, Governeur der mosambikanischen Provinz Manica (DW/B . Jaquete)

Governador da província de Manica diz estar a trabalhar para garantir a paz

"Nós também temos relatos de alguns pontos do país, mas sabendo que existe uma comissão mista, entre RENAMO e FRELIMO, que trata desses assuntos, cada parte informa o que está a acontecer e a comissão mista vai para o local e trata destes assuntos", conta Manuel Cebola.

 Alberto Ricardo Mondlane, já se encontrou com o delegado provincial da RENAMO em Manica, Sofrimento Matequenha, para falar da violência em que têm estado envolvidos membros das duas formações políticas. O governador diz estarem a trabalhar para terminar com a violência nesta província.

"Continuamos a trabalhar com os responsáveis dos partidos políticos, particularmente com os responsáveis do partido RENAMO, para garantir a paz, a tranquilidade o sossego das nossas populações na nossa província", assegurou o governador.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados