Quadra festiva: ″Tolerância zero″ para especulação de preços em Manica | Moçambique | DW | 21.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Quadra festiva: "Tolerância zero" para especulação de preços em Manica

Em tempos de quadra festiva, altos preços dificultam vida de moçambicanos. Mas Governo de Manica decreta "tolerância zero" a especulação de preços em diversos mercados e supermercados da província.

Straßenhändler in Chimoio, Mosambik (DW/B. Jequete)

Comerciante em Chimoio, capital da província moçambicana de Manica

A medida, decretada através da direção provincial da Indústria e Comércio, surge numa altura em que os agentes económicos se aproveitam da quadra festiva para aumentar os preços dos produtos.Como acontece anualmente neste período, os comerciantes alteram os preços das mercadorias, acarretando custos elevados para a população - nomeadamente a mais carenciada.

Segundo o diretor provincial da Indústria e Comércio de Manica, Ronaldo Naico, a direção gostaria que o abastecimento de produtos continuasse. Mas, em relação aos preços, as autoridades decretam "tolerância zero" ao aumento: "Quem for encontrado a fazer especulação de preços será passível de medida disciplinar", exortou.

Uma lâmina de peixe custava 750 meticais (cerca de 10 euros) nos meses passados. Agora, custa algo em torno 950 meticais (13 euros). Já o frango, que custava 150 meticais (2 euros), passou a 200 meticais (cerca de 3 euros). Comerciantes abordados pela reportagem da DW África disseram que o aumento dos preços varia de acordo com o preço da compra, sobretudo nos fornecedores.

Comerciantes

Ouvir o áudio 03:10

Quadra festiva: Preços altos dificultam ano de moçambicanos

Pita Araújo, um dos comerciantes em Chimoio, disse que à medida em que os produtos sobem de preço na fonte, ou no mercado grossista, também os retalhistas vêem-se forçados a praticar esses aumentos, para que possam ter alguma margem de lucro.

"Comprávamos uma lâmina de peixe a 750 meticais, agora o preço chegou a subir para mais de 900 meticais. Os preços variam, alguns vendem por algo entre 950 a 960 meticais. Nos meses passados, nós vendíamos um quilo a 100 meticais, hoje vendemos a 110. O preço do frango sobe e desce muito. Mas, neste tempo de festas em que estamos, as coisas estão a subir”, disse o comerciante.

Residente de Chimoio, Inês Paulo disse à DW África que os preços dos produtos aumentaram de forma excessiva no mercado. Por isso, como consumidora, não tem outra alternativa senão adquirir os artigos pelo preço que os encontra no mercado.

"Temos de comprar por causa das nossas famílias - queremos vê-las felizes. Mesmo [com o preço] subindo, não tem como. Temos filhos em casa e vamos receber a família e visitas. Ou seja, temos que comprar ”, desabafou a consumidora.

Promessas

Supermarkt in Chimoio, Mosambik (DW/B. Jequete)

Supermercado em Chimoio

Para se inteirar e medir o nível de "stock" de produtos nos armazéns, o governador da província de Manica, Manuel Rodrigues, efetuou nesta quinta-feira (20.12) visitas a alguns armazéns, mercados e supermercados da capital, Chimoio.

Já o diretor provincial da Indústria e Comércio de Manica, Ronaldo Naico, assegurou à nossa reportagem que foi criada uma equipa multissetorial para sensibilizar os comerciantes a não aumentarem os preços nesta quadra festiva.

"A nível da província já foi ativado o piquete multissetorial em vários setores. Os trabalhos [do referido piquete] consistem, neste momento em verificar o nível de abastecimento do mercado em relação aos produtos de primeira necessidade, mas também assegurar a estabilidade de preços tendo em conta a tendência dos comerciantes aumentarem o preço quando se avizinha a quadra festiva principalmente final do ano", explicou.

Naico disse ainda tratar-se de uma "especulação de preços" e por isso "manteriam os olhos abertos " para controlar o comportamento destes comerciantes, "nós queremos que toda população passe festas condignas de Natal e de final de ano", disse o diretor.

 

Leia mais