Presidente de Moçambique está na China em viagem de negócios | MEDIATECA | DW | 13.05.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

MEDIATECA

Presidente de Moçambique está na China em viagem de negócios

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, começa esta segunda-feira (13.05) uma visita oficial de três dias à China. Guebuza vai encontrar-se com investidores e com o novo Presidente chinês, Xi Jinping.

Ouvir o áudio 02:24

Esta é a primeira vez que Armando Guebuza visita a China desde que o novo Presidente chinês, Xi Jinping, foi eleito a 14 de março.

Os dois líderes mantiveram o seu primeiro encontro ainda no mês de março em Durban, na África do Sul, à margem da reunião do grupo BRICS que integra o Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul. Na altura, os dois estadistas reiteraram o desejo de ver reforçada a cooperação bilateral, tendo Jinping anunciado ainda a disposição da China em continuar a apoiar Moçambique.

O analista político Gustavo Mavie diz que este novo encontro vai ser uma oportunidade para Guebuza e Jinping se conhecerem. "A agenda não vai ser só de natureza política. [Esta visita] poderá provavelmente cimentar um relacionamento muito mais estreito" entre os dois chefes de Estado, refere.

Interesse chinês

Durante a deslocação à China, Guebuza visitará empreendimentos económicos e deverá encontrar-se com empresários com investimentos e interesses em Moçambique.

A China figura nos últimos anos entre os dez maiores investidores estrangeiros em Moçambique, um país cujos recursos naturais têm despertado o interesse das grandes potências internacionais.

O comércio com a China aumentou nos últimos anos de 285 milhões de dólares em 2007 para 690 milhões em 2012, de acordo com dados divulgados pelo jornal económico Financial Times. Os investimentos de empresas chinesas têm também vindo a multiplicar-se em áreas como os recursos naturais, a agricultura e a construção de infraestruturas.

Investimentos palpáveis

O investimento chinês em Moçambique é "muito forte" e "visível", comenta Gustavo Mavie. Segundo o analista, a China "é um dos poucos países, senão o único" que vai além do apoio monetário: "além do dinheiro que dá, a China ainda se envolve na construção de infraestruturas. Em Maputo e noutras partes de Moçambique é possível ver obras chinesas, um pouco à semelhança do que acontece em muitos países africanos e um pouco por todo o mundo. A China tornou-se, neste momento num dos maiores motores económicos do planeta."

Consolidar as relações de cooperação, de amizade e solidariedade são os objetivos desta visita de Armando Guebuza à República Popular da China, de acordo com a Presidência moçambicana.