PR moçambicano lança reconstrução da linha que liga província de Tete ao Maláui | Moçambique | DW | 30.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

PR moçambicano lança reconstrução da linha que liga província de Tete ao Maláui

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, lançou no sábado, as obras de reconstrução da linha férrea que liga a província de Tete ao vizinho Maláui, interrompida há décadas devido à guerra civil.

Mosambik Eisenbahnlinie von Maputo nach Simbabwe

Imagem ilustrativa

"A nossa expectativa é que [a linha] sirva de catalisador na dinamização do comércio", disse o Presidente Filipe Nyusi, durante a cerimónia de lançamento da reconstrução da linha da linha férrea que liga a província de Tete ao vizinho Maláui, no âmbito de uma visita de trabalho ao distrito de Mutarara, província de Tete, no Centro de Moçambique. 

As obras estão avaliadas em 30 milhões de dólares (o equivalente a 25 milhões de euros) e vão incidir numa extensão de 44,6 quilómetros, abrindo a circulação para comboios a partir do porto da Beira, na província de Sofala, também no centro do país, até ao Maláui.

Para o Presidente moçambicano, além de garantir a ligação com Maláui, o corredor vai dinamizar a economia da região centro, abrindo oportunidades em vários setores, com destaque para o comércio.

"Esta linha não serve para embelezar o distrito de Mutarara nem a província de Tete, é sim para produzir e garantir a circulação de mercadorias", disse às comunidades locais o chefe de Estado moçambicano.

O Maláui, um país sem acesso direto ao mar, importa anualmente mais de 48 milhões de toneladas de carga diversa através dos portos moçambicanos de Nacala (província de Nampula) e Beira (província de Sofala).

A linha foi um dos corredores interrompidos em 1986 devido à guerra civil de 16 anos, um conflito que opôs o Exército governamental e o braço armado da Resistência Nacional Moçambicana, tendo terminado com a assinatura do Acordo Geral de Paz, em Roma, em 1992.

Assistir ao vídeo 00:57

África vista de cima: "Expresso Lunático" em Nairobi

Leia mais