População do Bié espera que visita de João Lourenço traga soluções | Angola | DW | 18.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

População do Bié espera que visita de João Lourenço traga soluções

Presidente angolano iniciou esta sexta-feira uma visita de dois dias ao Bié. Munícipes ouvidos pela DW esperam de João Lourenço soluções para problemas da província, como desemprego, falhas de energia e falta de água.

Presidente angolano já passou pela cidade do Cuíto

Presidente angolano já passou pela cidade do Cuíto

O chefe de Estado angolano trabalha desde as primeiras horas desta sexta-feira (18.10) no Bié, região do planalto central, no âmbito da sua presidência aberta. À semelhança da última visita à província do Moxico, João Lourenço optou por iniciar a sua jornada de trabalho fora da capital. Escolheu Cuemba, município que fica a 162 quilómetros do Cuíto (Bié), para a primeira etapa da visita de dois dias.

A visita do Presidente é aguardada com muita expectativa pela população local. Conhecer de perto a realidade atual da província do Bié e impulsionar a resolução dos problemas nos domínios económico e social são alguns dos objetivos.

Esta manhã, João Lourenço esteve no município do Cuemba, onde foi recebido pelo governador da província, Pereira Alfredo, e por membros do seu executivo e população. Seguiram-se um encontro com o governo provincial, uma deslocação ao antigo hospital do Cuemba e a inauguração do novo hospital Regional do Cuemba. Já na cidade do Cuíto, o Presidente da República inaugurou o Aeroporto Joaquim Kapango e visitou o Hospital Provincial do Bié.

Jovens esperam mais oportunidades

Inaugurações à parte, a etapa que os biénos consideram ser a mais importante está reservada para este sábado (19.10): a reunião de João Lourenço com o conselho Provincial de Auscultação da Comunidade e o encontro interativo que o chefe de Estado deve manter com a juventude da província.

Ouvir o áudio 02:40

Presidente angolano visita Bié para avaliar problemas

O jovem empreendedor Martins Caposso, um dos poucos que terá a oportunidade de ouvir e questionar o chefe de Estado, espera do Presidente da República ações concretas de apoio à juventude, como a concessão de créditos bancários para o desenvolvimento das suas atividades. "Espero que o Presidente abra mais oportunidades. Temos tido muitas dificuldades que vieram agravar-se com o IVA", diz.

"A nossa cidade não dispõe de indústrias", lembra também Albino Hime, outro cidadão ouvido pela DW África, que espera que a visita do Presidente ao Bié estimule a industrialização da província, numa altura em que as pequenas iniciativas acabam por esbarrar na burocracia e outras práticas menos atrativas ao desenvolvimento."Porque existem empresários com vontade e é isso que eles reclamam", acrescenta.

Chega de promessas

Já Fernando Domingos entende que o Bié não pode continuar a viver de promessas e que este é momento de o executivo avançar para a implementação dos programas engavetados ao longo dos anos.

"Porque é que a nossa província não é dinâmica igual às outras? Há aqui promessas sobre emprego, promessas sobre a diversificação da economia da província, de melhoramento dos municípios, mas tudo isso não se concretiza", reclama o munícipe.

As vias de acesso intermunicipais são outro obstáculo apontado ao desenvolvimento socioeconómico da província. Martins Capusso espera que o chefe de Estado ajude a desbloquear a reabilitação de vários troços. "Porque com as vias de acesso reabilitadas, facilita o escoamento da produção e isso ajuda no crescimento dos empreendedores", lembra.

Antes do seu regresso a Luanda, o Presidente da Republica vai ainda ao Cemitério Monumento, onde renderá homenagem aos mártires do Cuíto, para horas depois inaugurar a segunda fase do Sistema Abastecimento de água ao Cuíto.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados