Polícia reprime marcha de apoio a Manuel de Araújo organizada pela RENAMO | Moçambique | DW | 05.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Polícia reprime marcha de apoio a Manuel de Araújo organizada pela RENAMO

A polícia deteve cinco pessoas e agrediu manifestantes esta terça-feira (05.02), em Quelimane, alegando que a marcha não teve autorização. Objetivo da marcha era apoiar o edil eleito que deverá tomar posse esta semana.

Centenas de apoiantes da RENAMO, o maior partido da oposição em Moçambique, foram para as ruas de Quelimane, esta terça-feira (05.02), com dísticos e cânticos, pedir que o antigo edil Manuel de Araújo volte ao poder.

Mas a polícia reprimiu o protesto. Os manifestantes não percorreram sequer 20 metros. Agentes da polícia agrediram e detiveram cinco pessoas, incluindo uma mulher. Houve manifestantes que foram arrastados pelo chão e agredidos com chambocos. A polícia também disparou para o chão, para dispersar o grupo.

Nhama Matabico, jornalista do "Diário da Zambézia" também foi agredido: "Eu estava a filmar e acabaram-me agredindo. Graças a Deus estou bem, só o facto é que perdi o telefone e tenho alguns ferimentos nas minhas mãos. Só tenho que lamentar, a polícia acabou me agredindo em pleno exercício da minha atividade."

Assistir ao vídeo 01:26

Repressão policial contra marchas da RENAMO

Marcha ilegal, diz a polícia

Um oficial da polícia, que não se quis identificar, disse que a marcha era ilegal e que estava apenas a fazer o seu trabalho: "É nossa obrigação, como cumpridores da lei, cumprimos e fazemos cumprir a lei. A polícia não sabe, o município muito menos, então não podemos permitir que seja embaraçado o trânsito na cidade."

A marcha foi convocada para esta terça-feira (05.02) de manhã por causa de rumores que circulam  em Quelimane de que Manuel de Araújo poderá não conseguir tomar posse na quinta-feira (07.02) - o dia da tomada de posse de todos os edis em Moçambique.

Manuel de Araújo venceu as eleições autárquicas em Quelimane, em outubro passado. Mas ainda se especula sobre se um acórdão do Tribunal Administrativo, que levou à perda do mandato anterior de Araújo, o impedirá de assumir o novo mandato.

RENAMO garante que Manuel de Araújo vai tomar posse

Ouvir o áudio 02:21

Moçambique: Polícia reprime marcha de apoio à Manuel de Araújo organizada pela RENAMO

"A única informação que nós temos é que ele vai tomar posse. Não existe nenhuma informação oficial que diz que ele não vai tomar posse. O resto são especulações. Nós, como partido RENAMO, temos certeza que o nosso cabeça de lista, Manuel de Araújo, vai tomar posse no dia 7", afirma Latifo Charifo, delegado da RENAMO.

Quelimane tem vivido dias tensos com o aproximar da tomada de posse. O atual presidente interino do Conselho Autárquico de Quelimane, Domingos de Albuquerque, afirmou que, depois de Manuel de Araújo sair, encontrou os cofres completamente vazios: "Não temos dinheiro no Conselho Municipal. O Conselho Municipal de Quelimane está sem dinheiro. Precisamos conversar com os representantes da tutela administrativa e do governo provincial para vermos qual é a saída."

Segundo Domingos de Albuquerque, do MDM, a segunda maior força da oposição, os membros da Assembleia Municipal estão sem salários há quatro meses.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados