Paris: Três mil ″coletes amarelos″ saem à rua no quinto fim-de-semana de protestos | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 15.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Paris: Três mil "coletes amarelos" saem à rua no quinto fim-de-semana de protestos

Ao todo, estima o Ministério do Interior francês, terão participado nos protestos deste sábado (15.12), em Paris, Toulouse, Bordéus e Saint-Étienne, mais de 30 mil pessoas. Para já, foram detidos 63 manifestantes.

Apesar dos protestos convocados pelo movimento "Coletes Amarelos", em França, terem mobilizado, este sábado (15.12), menos protestantes, há alguns incidentes a registar. No entanto, frisam as autoridades, em números muito inferiores, quano comparados com os protestos passados.

Segundo o Ministério do Interior, este sábado (15.12), terão saído às ruas em todo o país, cerca de 33.500 pessoas. Em Paris, estavam "menos de 3.000" manifestantes, contra os dez mil que lá se encontravam há uma semana, afirmam as mesmas fontes.

Esta tarde, nos Campos Elísios, em Paris, os ânimos aqueceram quando a polícia disparou gás lacrimogéneo para dispersar uma pequena multidão que tentava atravessar os limites impostos pelas autoridades. Neste que foi o quinto fim de semana de protestos levados a cabo pelo movimento "Coletes Amarelos”, que surgiu nas redes sociais e que exige ao Presidente Emmanuel Macron medidas que melhorem o nível de vida no país, foram mobilizados cerca de oito mil polícias para a capital francesa.

Frankreich Gelbwesten-Proteste in Paris (Reuters/B. Tessier)

A meio da tarde deste sábado (15.12) haviam sido detidas 63 pessoas.

De acordo com as autoridades, a meio da tarde deste sábado (15.12), haviam sido identificadas 95 pessoas, das quais 63 foram detidas. Um número que fica bastante aquém das 475 detenções registadas a semana passada, mais ou menos à mesma hora.

Já depois do anúncio do aumento do salário mínimo no país, que surge em resposta aos quatros fins de semana de protestos, o Presidente francês havia lançado, esta semana, um apelo para um regresso à "calma", "ordem" e normalidade no país.

Leia mais