Oposição alerta para riscos de fraude eleitoral no Zimbabué | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 13.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Oposição alerta para riscos de fraude eleitoral no Zimbabué

Nelson Chamisa, candidato à presidência do Zimbabué, entregou à Comissão Eleitoral uma petição a pedir transparência no processo eleitoral. Eleições presidenciais estão marcadas para 30 de julho.

Não é certo que se vivam tempos tranquilos até 30 de julho, dia em que o Zimbabué vai a votos para eleger o próximo Presidente do país. Apoiantes da oposição ameaçam por um travão às eleições presidenciais. As palavras tornar-se-ão ações, caso a Comissão Eleitoral do país não dê atenção às exigências de igualdade nas condições de voto, alertam.

Na quarta-feira (11.07), milhares de cidadãos saíram às ruas e marcharam por toda a cidade de Harare, capital do Zimbabué, exigindo acesso ao boletim de voto e fornecimento de uma lista credível de eleitores. Teme-se que a Comissão Eleitoral esteja conivente com o partido no poder, comandado pelo Presidente Emmerson Mnangagwa, para manipular as eleições. 

"Eleitores-fantasma"

Os apoiantes da oposição acreditam na existência de vários "eleitores-fantasma" e exigem uma auditoria à lista de candidatos, para eliminar nomes que aparecem de forma repetida. Afirmam ainda que algumas moradas não existem e suspeitam que alguns números de identificação nacional não sejam verdadeiros.

Nelson Chamisa

Nelson Chamisa; candidato à presidência do Zimbabué

Nelson Chamisa, o principal candidato à presidência pela oposição, falou aos jornalistas, depois de apresentar uma petição à Comissão Eleitoral. O candidato de 40 anos, comentou que "o boletim de voto deve ser feito de forma transparente" e deve estar "de acordo com a lei do país."

No início desta semana, as autoridades da Comissão Eleitoral mostraram-se disponíveis para ouvir as preocupações da oposição, mas negam as acusações de "eleitores-fantasma". A presidente da Comissão, Priscilla Chigumba, afirma que "deve ser assegurado que todos os eleitores registados possam provar que são cidadãos do Zimbabué", deixando ainda o aviso de que "se houver algum problema com a identificação do cidadão, será excluído e não poderá votar."

Pedido inviável

Outro dos pedidos da oposição é o acesso prévio aos boletins de voto. O partido líderado por Nelson Chamisa pretende verificar fisicamente o boletim de voto, para garantir a inexistência de qualquer irregularidade.

Ouvir o áudio 02:21
Ao vivo agora
02:21 min

Oposição alerta para riscos de fraude eleitoral no Zimbabué

No entanto, esse pedido não é viável. De acordo com a lei do Zimbabué, não é permitido que os partidos políticos verifiquem fisicamente a cédula antes do dia das eleições, por razões de segurança.

A contestação das próximas eleições presidenciais poderão ofuscar as relações com a comunidade internacional, que o Zimbabué tem vindo a desenvolver, depois do golpe militar que forçou Robert Mugabe a renunciar ao poder em novembro, do ano passado.

Observadores internacionais, incluindo da União Europeia (UE), já estão no país, para acompanhar o desenrolar dos acontecimentos, até ao dia das eleições, marcadas para o dia 30 de julho.

Direitos humanos

A Amnistia Internacional defende que os candidatos e partidos políticos no Zimbabué devem romper com o regime de Robert Mugabe e colocar nos seus programas para as eleições de 30 de julho o respeito e proteção dos direitos humanos.  

Num documento agora publicado e intitulado "Romper com o Passado", a organização não-governamental fez sete recomendações, nomeadamente o fim da pena de morte, das perseguições políticas que resultavam no desaparecimento, tortura e morte de opositores e o fim da impunidade das forças de segurança.

Pede também que acabem os despejos forçados, apela à liberdade de expressão e de associação, ao respeito pelos tratados regionais sobre os direitos humanos e pede maior atenção para políticas de saúde para mulheres e jovens.  
 

Áudios e vídeos relacionados