O que o primeiro-ministro de Cabo Verde vai dizer a Barack Obama | MEDIATECA | DW | 27.03.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

MEDIATECA

O que o primeiro-ministro de Cabo Verde vai dizer a Barack Obama

O Presidente norte-americano, Barack Obama, recebe esta quinta-feira (28.03.2013), o primeiro-ministro cabo-verdiano na Casa Branca. José Maria Neves conversou com a DW África antes do encontro.

Ouvir o áudio 03:29

O primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, está desde terça-feira à noite em Washington, nos Estados Unidos, para o tão aguardado encontro com o Presidente norte-americano, Barack Obama.

Num exclusivo à DW África, José Maria Neves admitiu que o convite para participar nesse encontro tem a ver com a boa governação e a democracia existentes no país.

"É uma grande distinção para Cabo Verde", disse. Segundo o primeiro-ministro, ir até à Casa Branca significa o reconhecimento dos Estados Unidos e da administração Obama pelo desempenho "extraordinário" de Cabo Verde a vários níveis.

Este seria um reconhecimento de Obama pela boa prestação de Cabo Verde não só ao nível da governação ou, por exemplo, da promoção e defesa dos direitos humanos, mas também no que se refere ao desempenho económico do país: "para a criação de condições para o crescimento da nossa economia, para a inserção competitiva do país na economia global e para que todos os cabo-verdianos vivam com mais empregos, mais rendimentos e melhor qualidade de vida", enumera José Maria Neves.

O que se vai falar

Durante o encontro com Obama será discutido o fortalecimento das instituições democráticas no continente africano. A democracia, a boa governação ou os direitos humanos são algumas das questões que deverão ser abordadas. Mas há também outros temas que vão estar em cima da mesa, revela o primeiro-ministro, José Maria Neves.

"Questões como as energias renováveis, as tecnologias informacionais ou os agronegócios em África. Mas também uma questão que é fulcral neste momento - a segurança e a estabilidade nesta região e no continente africano."

José Maria Neves admitiu que o combate ao narcotráfico na região, particularmente na Guiné-Bissau, poderá estar sobre a mesa: "Nós vamos falar globalmente sobre esta problemática."

Parceria na segurança

Os EUA e Cabo Verde têm realizado ações conjuntas de combate ao narcotráfico na região e ao terrorismo.

"Já fazemos patrulhas conjuntas das nossas águas para combater o narcotráfico, mas também para combatermos a criminalidade organizada e podermos garantir condições de segurança e estabilidade", lembrou José Maria Neves.

"Estamos também a trabalhar conjuntamente para combater grupos extremistas aqui na região e, sobretudo, para combater a pirataria marítima e garantir a segurança das nossas águas, contribuindo assim para que o corredor do Atlântico seja um corredor de estabilidade e de paz.

Um "líder inspirador"

Esta será a primeira vez que um Presidente norte-americano recebe um primeiro-ministro de Cabo Verde. José Maria Neves é um confesso admirador de Obama: "Barack Obama é um líder inspirador. Há uma inspiração muito grande na liderança que é exercida por ele."

Além de José Maria Neves, o Presidente norte-americano recebe esta quinta-feira os Presidentes da Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, do Senegal, Macky Sall, e do Malaui, Joyce Banda.