Nyusi destaca ″bravura″ e ″determinação″ dos jovens em Cabo Delgado | Moçambique | DW | 01.11.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Nyusi destaca "bravura" e "determinação" dos jovens em Cabo Delgado

No Dia da Juventude Africana, PR moçambicano destacou a "bravura" e "determinação" dos jovens militares na defesa da população vítima da violência armada em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Soldados das Forças de Defesa e Segurança (FDS) de Moçambique em Cabo Delgado

Soldados das Forças de Defesa e Segurança (FDS) de Moçambique em Cabo Delgado

"Uma dedicatória especial vai para os jovens das nossas Forças de Defesa e Segurança e dos países amigos destacados em Cabo Delgado, pela sua bravura, sentido de missão, coragem e determinação na defesa das populações", disse Filipe Nyusi, esta segunda-feira (01.11) numa mensagem da Presidência enviada à comunicação social.

A mensagem é alusiva ao Dia da Juventude Africana que se assinala hoje sob o lema "Definindo o Futuro Hoje: Juventude Liderando Soluções para a Construção da África Que Queremos". 

Segundo o chefe de Estado, os jovens têm-se aplicado "ao máximo" para "erradicar o terrorismo" naquela província do norte de Moçambique, visando "devolver a tranquilidade às populações".

Na sua página no Facebook, Filipe Nyusi afirmou ainda que o Governo "continuará a trabalhar na identificação e facilitação de acesso às oportunidades", para que a juventude "possa oferecer o melhor de si para uma contribuição nos esforços coletivos para o desenvolvimento do país".

Conflito

Cabo Delgado é uma região rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

O conflito já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, segundo as autoridades moçambicanas.

Desde julho, uma ofensiva das tropas governamentais com o apoio do Ruanda a que se juntou depois a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) permitiu aumentar a segurança, recuperando várias zonas onde havia presença de rebeldes, nomeadamente a vila de Mocímboa da Praia, que estava ocupada desde agosto de 2020.

Assistir ao vídeo 03:44

Atuns de Memba: Os jovens de Nampula que usam a música contra o terrorismo