Nobel da Paz para ativistas que lutam contra violência sexual | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 05.10.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nobel da Paz para ativistas que lutam contra violência sexual

O médico congolês Denis Mukwege e a ativista da minoria religiosa yazidi Nadia Murad venceram o Prémio Nobel da Paz.

Ginecologista congolês Denis Mukwege, um dos vencedores do Nobel da Paz deste ano

Ginecologista congolês Denis Mukwege, um dos vencedores do Nobel da Paz deste ano

O Comité Nobel norueguês decidiu atribuir o prémio a Denis Mukwege e Nadia Murad "pelos seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e em conflitos armados".

Denis Mukwege é um ginecologista congolês, que, todos os anos, presta apoio a milhares de mulheres, vítimas de violência sexual. Mukwege trabalha no hospital de Panzi, em Bukavu, no leste da República Democrática do Congo.

Nadia Murad é ativista pelos direitos da minoria yazidi no Iraque. Em 2014, foi sequestrada e violada por combatentes do grupo radical auto-intitulado Estado Islâmico, mas conseguiu fugir aos raptores.

"Tanto Denis Mukwege como Nadia Murad colocaram a sua segurança pessoal em risco lutando corajosamente contra crimes de guerra e para que se fizesse justiça às vítimas", anunciou o Comité Nobel.

(em atualização)

Leia mais