Namíbia diz que Alemanha está pronta para pedir desculpa por genocídio | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 11.06.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Namíbia diz que Alemanha está pronta para pedir desculpa por genocídio

Num discurso à nação, na semana passada, o Presidente Hage Geingob afirmou que tinham havido progressos nas negociações com a Alemanha sobre o genocídio da era colonial contra os Herero e Nama. Berlim não comenta.

A surpresa surgiu no discurso sobre o estado da nação do Presidente da Namíbia, no passado dia 4 de junho: "Não era suposto eu dizer isto, mas há novidades sobre a questão do genocídio. Recebi ontem um relatório sobre os progressos das negociações. A Alemanha reconheceu que os acontecimentos de 1904 a 1908 podem ser qualificados de genocídio e está disposta a pedir desculpa", disse.

No dia 5 de junho, um dia após o discurso de Hage Geingob, um dos jornais diários do país, o "New Era", fazia capa: "Alemanha vai finalmente pedir desculpa pelo genocídio".

No entanto, aquilo que parecia ser um motivo para festejar, depois de anos de negociações, não mereceu aplausos da segunda parte interessada, o executivo alemão.

"As conversações entre o Governo Federal e o Governo da Namíbia prosseguem num clima construtivo e de confiança mútua. Ambas as partes concordaram com a confidencialidade, razão pela qual não vamos comentar os progressos ou o conteúdo das conversações, no entanto, e como já dissemos antes, o objetivo destas conversações é chegar a um pedido de desculpas", afirmou, em Berlim, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão, Christofer Burger.

Namibia Präsident Hage Geingob in tadt: Windhuk

Presidente Geingob anunciou à nação, no passado dia 4 de junho, que negociações com Alemanha sobre genocídio haviam avançado

De facto não é novidade que Berlim prometeu já por várias vezes pedir desculpas à Namíbia pelo massacre da era colonial. E ambos os governos já disseram também estar perto de chegar a um consenso sobre as compensações, apesar deste ainda não ter acontecido.

Controvéria sobre o dinheiro

A Alemanha excluiu, desde o início das negociações, pagar uma compensação direta à Namíbia. E em vez disso, propôs financiar projetos de desenvolvimento em áreas como a saúde ou a energia nas zonas onde vivem os povos Herero e Nama. No entanto, e como voltou a afirmar neste discurso à nação o Presidente, a Namíbia não concorda com os valores propostos até à data pela Alemanha.

"A Alemanha ofereceu dez milhões de euros. Dissemos que era um insulto", afirmou aos namibianos o Presidente, que acabou depois por afirmar que "apesar de todas as palavras amáveis, ainda não há um acordo".

Ouvir o áudio 03:19

Namíbia diz que Alemanha está pronta para pedir desculpa por genocídio

Mas então, e se não há novidades concretas, porque razão voltou o Presidente namibiano a puxar este tema para o debate? Dietrich Remmert, analista do Instituto de Investigação de Políticas Públicas de Windhoek, afirma que Geingob "estava, provavelmente, à procura de coisas positivas para comunicar à nação". E explica porquê: "A nossa economia ainda está em dificuldades desde 2016. Muitas pessoas perderam os seus empregos e a pandemia provocada pelo novo coronavírus veio dificultar ainda mais a situação. O turismo, cujas receitas são importantes para o país, está em declínio. Por isso, eu acho que ele estava provavelmente à procura de coisas positivas para comunicar à nação".

Sinal para os povos Herero e Nama?

Para além desta justificação, dizem os observadores, as declarações do Presidente namibiano podem também ter surgido como uma forma de acalmar a tensão entre o governo e os grupos étnicos afetados. Isto porque alguns representantes dos povos Herero e Nama dizem não confiar no executivo de Hage Geingob para gerir as negociações em sua representação.

A última ronda de negociações entre a Namíbia e a Alemanha sobre os acontecimentos da era colonial estava prevista para março, mas teve de ser cancelada por causa da pandemia do coronavírus. Assim, e apesar dos dois executivos afirmarem que as conversações continuam, não há uma data prevista para que o acordo final entre os dois países possa ser alcançado.

Leia mais