Nações africanas preparam chuteiras para a CAN em Portugal | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 12.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nações africanas preparam chuteiras para a CAN em Portugal

Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Cabo Verde escolheram Portugal para realizar um estágio de preparação com vista à qualificação para a Taça Africana das Nações (CAN) que terá lugar entre janeiro e fevereiro de 2022.

Seleção nacional da Guiné-Bissau

Seleção nacional da Guiné-Bissau

O jogo amigável agendado para este domingo (11.10) entre Angola e a Guiné-Bissau não se realizou, porque a equipa guineense, dirigida por Baciro Candé, não fez os testes à Covid-19 com antecedência. No entanto, Guiné-Bissau surge na corrida para o CAN com "muita ambição". "Penso que o caminho que estamos a trilhar é um caminho viável. Nós sabemos quais são as nossas limitações. Sabemos até onde podemos chegar neste momento, mas isso não nos impede de sonhar. O nosso sonho é chegar sempre mais além", diz o treinador da seleção nacional, Baciro Candé.

Rio Maior, Portugal | Baciro Candé Trainer der Fußballmannschaft Guinea-Bissau

Baciro Candé, treinador da seleção nacional de futebol da Guiné-Bissau

A seleção nacional de futebol guineense, os "Djurtus", integrada no Grupo I, tem previstos dois jogos preliminares contra o Senegal, que acontecerão no período entre 9 a 17 de novembro. O primeiro realiza-se no Senegal e o segundo na Guiné-Bissau. "São jogos extremamente importantes, porque sabemos que o Senegal é uma potência", admite o selecionador. "Têm grandes jogadores, têm uma estrutura muito forte e não têm nada a ver com a Guiné-Bissau. Mas nós vamos fazer o nosso trabalho como estamos habituados a fazer, sem pressão nenhuma", acrescenta. 

Depois do jogo amigável com a Guiné-Bissau, na passada sexta-feira (09.10), Moçambique encontra-se esta terça-feira (13.10) com a seleção de Angola, em Rio Maior. Para o selecionador nacional, Luís Gonçalves, o objetivo é conseguir a qualificação no Grupo F. "Vamos ter dois jogos com os Camarões. Não são, de todo, decisivos, mas são realmente muito importantes e vamos tentar, naturalmente, somar o maior número de pontos nestes confrontos", refere. "Há confiança na nossa capacidade, mas isso não significa que a qualificação seja um dado adquirido", afirma. "É verdade que já temos quatro pontos, porque esta qualificação já começou em novembro do ano passado. Vencemos o Ruanda em casa e empatámos fora com Cabo Verde. Portanto, temos quatro pontos, o que considero bom", comenta.

"Palancas Negras" querem ser a melhor seleção

Depois da preparação em Portugal, Angola parte para a etapa de qualificação também com confiança, em busca de bons resultados. "Este é um caminho a seguir, projetando o futuro", afirma Pedro Gonçalves, selecionador dos "Palancas Negras". "Sabemos que neste momento, possivelmente, não somos a melhor seleção africana, mas com toda a certeza queremos ser a melhor seleção africana. Vamos trabalhar e cimentar esta postura", reiterou.

Angola está à procura de motivação para os jogos da terceira e quarta jornadas do Grupo D com a República Democrática do Congo, em novembro, a contar para a fase de apuramento para o CAN. "Ao nível da competição, são [jogos] extremamente importantes para nós e vão exigir muita competência, mas também, neste caso, a República Democrática do Congo vai interpretar da mesma forma esses jogos de novembro", conta.

Fußballmannschaft von Mosambik.

Seleção nacional de futebol de Moçambique

Depois de vencerem Andorra por 2-1, os "Tubarões Azuis" de Cabo Verde não conseguiram somar uma nova vitória. No jogo particular disputado no sábado (10.10), no Algarve, a seleção de Cabo Verde (Grupo F) perdeu por 2-1 com a congénere da Guiné-Conacri (Grupo A). Os cabo-verdianos, sob o comando do selecionador "Bubista", são terceiros no grupo, com dois pontos, atrás dos Camarões e Moçambique, ambos com quatro. A Guiné-Conacri lidera o grupo com os mesmos quatro pontos do Mali, seguidos pela Namíbia, com três. O Chade permanece sem qualquer pontuação no grupo.
 
Com a maioria dos jogadores radicados na diáspora, as equipas participantes nestes jogos particulares em Portugal estiveram paradas desde março devido ao surto do novo coronavírus. "Infelizmente a nível global, em todo o mundo, há muitas equipas que estão a ser afetadas por isso. Portanto, temos que continuar a trabalhar, a tomar as nossas medidas de precaução, respeitar todos os protocolos", garante Luís Gonçalves, da seleção moçambicana.

A CAN, agendada para janeiro de 2021, foi adiada para janeiro de 2022, devido à pandemia da Covid-19.

Leia mais